user preferences

New Events

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

no event posted in the last week

Operação Lava Jato: comunicação mediada e apelação midiática

category brazil/guyana/suriname/fguiana | local contacts | opinião / análise author Saturday August 13, 2016 01:15author by BrunoL - 1 of Anarkismo Editorial Groupauthor email blimarocha at gmail dot com Report this post to the editors

Desde que foi lançada, a Operação é uma campeã de audiência e recordista nacional em exposição seletiva.

A Operação Lava Jato é um marco na história brasileira em todos os sentidos. Ao afirmar que é marcante e criva um paradigma, não me refiro a esta operação jurídico-policial como necessariamente positiva. No final das contas, o volume de dúvidas é equivalente ao de certezas. Ficamos na dúvida se a operação criminaliza toda atividade de Estado e nos certificamos que as empreiteiras de sempre são culpadas de novo.

lavajatompfbr.jpg

Este marco da Lava Jato também implica na ascensão de uma nova elite do Estado. Definitivamente, vivemos um período de restauração de tipo republicana, com discurso jacobino, práticas liberal-oligárquicas e a representação da “pureza” por parte de magistrados federais, promotores e procuradores, além de delegados da Polícia Federal. Assim, a exibição midiática das punições ao andar de cima, traz consigo a significação dupla: por um lado, e corretamente, dá vazão ao anseio popular do Estado vingador, punindo aos crimes de elites como sente na pele (literalmente) a ação do sistema criminal. Por outro lado, não entra em debate de modelos, e assim, garante a permanência das instituições de Estado tais como são ou estão, sem criticar as formas de funcionamento reais, apenas louvando o empenho dos “jovens procuradores” e setores afins.

A hiperexposição midiática
Desde que foi lançada, a Operação é uma campeã de audiência e recordista nacional em exposição seletiva. Além da hiperexposição por parte dos maiores conglomerados de mídia brasileira (Globo, Abril, Folha e Estadão), vem havendo um esforço por parte do Ministério Público Federal (MPF) a difundir as investigações de forma mediada, com dados já mastigados e compreensão do grande público. No domínio lavajato.mpf.mp.br, qualquer pessoa pode acompanhar o caso e seus desdobramentos. Esta medida – a de mediatizar a ação do Ministério Público Federal, do Judiciário Federal e da própria PF – é uma prática corrente em outros países que combateram a corrupção endêmica entre Estados e conglomerados locais e, junto da delação premiada, está sendo aplicada com maestria pelos líderes deste processo.

Ao tornar públicos dados já “mastigados”, o público leitor e as audiências consolidadas dos grandes conglomerados, podem dedicar-se a absorver de forma seletiva o que já está pronto, resultando em ação viral de tipo segunda tela, postando comentários e observações em escala de milhões de compartilhamentos em redes sociais. A diferença de resultado e significativa. Caso o Wikileaks tivesse a mesma capacidade de produção de dados mediados, “mastigados”, comunicação já mediada, a penetração dos informes e suas consequências societárias seriam infinitamente superiores.

O modus operandi da Lava Jato chama a atenção e indica o nível de protagonismo que pode ter uma camada de profissionais de carreira, tecnocratas e operadores jurídicos, com um aval da “opinião pública” para fazerem justiça. Basicamente, ao polarizar o noticiário, vão ao encontro da sede – correta e legítima – de justiça incluindo algum grau de vingança popular contra o andar de cima. O que assusta não é a punição para as empreiteiras, mas seletividade midiática e o esforço inaugural da Lava Jato, ao contrário de outras operações, no meu entender, ainda mais relevantes, como a Farol da Colina, Macuco, Chacal, Satiagraha, Castelo de Areia e Monte Carlo.
Obviamente que isso não aconteceria dadas às correlações em cada momento que as operações foram lançadas e a confluência da oposição doméstica – a ascensão da nova direita, a dimensão substantiva do golpe e a exposição midiática com requintes de manipulação e ausência de contraponto. Para quem julga que exagero, sugiro que revejam a edição do Jornal Nacional de 16 de março de 2016, já na edição deste link (https://www.youtube.com/watch?v=2hYo7eEnwKU).

No fim do túnel, no ambiente doméstico, está a meta estratégica do inimigo de classe em promover uma legislação regressiva – com ampla retirada de direitos, trabalhistas e sociais. No plano regional (América do Sul e Latina) e no internacional, é notável a associação indireta e subordinada entre os interesses da classe dominante brasileira e o imperialismo contemporâneo. Ao contrário do período da Bipolaridade, hoje o Comando Sul e as agências estadunidenses atuam de forma sutil e muitas vezes oficiosas, tal e como no caso brasileiro recente.

Uma conclusão óbvia
Nada disso teria sido possível caso a relação entre empreiteiras e lulismo não fosse tão promiscua como a que havia nos governos anteriores. Igualmente, caso a Lava Jato não tivesse no oligopólio da comunicação seu apoio permanente, não ocorreria golpe parlamentar com apelido de “impeachment”.

Bruno Lima Rocha é professor de ciência política e de relações internacionais
(estrategiaeanaliseblog.com – blimarocha@gmail.com para E-mail e Facebook)

This page can be viewed in
English Italiano Deutsch

Front page

Strike in Cachoeirinha

(Bielorrusia) ¡Libertad inmediata a nuestro compañero Mikola Dziadok!

DAF’ın Referandum Üzerine Birinci Bildirisi:

Cajamarca, Tolima: consulta popular y disputa por el territorio

Statement on the Schmidt Case and Proposed Commission of Inquiry

Aodhan Ó Ríordáin: Playing The Big Man in America

Nós anarquistas saudamos o 8 de março: dia internacional de luta e resistência das mulheres!

Özgürlüğümüz Mücadelemizdedir

IWD 2017: Celebrating a new revolution

Solidarité avec Théo et toutes les victimes des violences policières ! Non à la loi « Sécurité Publique » !

Solidaridad y Defensa de las Comunidades Frente al Avance del Paramilitarismo en el Cauca

A Conservative Threat Offers New Opportunities for Working Class Feminism

De las colectivizaciones al 15M: 80 años de lucha por la autogestión en España

False hope, broken promises: Obama’s belligerent legacy

Primer encuentro feminista Solidaridad – Federación Comunista Libertaria

Devrimci Anarşist Tutsak Umut Fırat Süvarioğulları Açlık Grevinin 39 Gününde

The Fall of Aleppo

Italia - Ricostruire opposizione sociale organizzata dal basso. Costruire un progetto collettivo per l’alternativa libertaria.

Recordando a César Roa, luchador de la caña

Prison Sentence to Managing Editor of Anarchist Meydan Newspaper in Turkey

Liberación de la Uma Kiwe, autonomía y territorio: una mirada libertaria para la comprensión de la lucha nasa

Misunderstanding syndicalism

American Anarchist and Wobbly killed by Turkey while fighting ISIS in Rojava

Devlet Tecavüzdür

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana | Local contacts | pt

Sat 29 Apr, 07:43

browse text browse image

procao.jpg imageCarta de apresentação do Pró-coletivo Anarquista Organizado de Joinville. 09:00 Sat 03 Oct by Pró-CAO 0 comments

O presente documento é a primeira produção publica do “Pró-CAO” (Pró – Coletivo Anarquista Organizado) de Joinville, Santa Catarina, no qual buscaremos apresentar o nosso projeto de construção de uma organização política anarquista com programa ideologicamente revolucionário.

esimbolo_rfr.jpg image[Brasil, Goiânia] Manifestação dia 8 de Março 05:15 Mon 05 Mar by RFR 0 comments

Manifestação dia 8 de Março as 12:30 na rua do lazer no centro, Goiânia - Goiás.

text[Brasil]Atualizado o Blog do Coletivo Pró Organização Anarquista em Goiás 09:26 Mon 13 Nov by Coletivo pró Organização Anarquista em Goiás 0 comments

Foi atualizado o Blog do Coletivo Pró Organização Anarquista em Goiás

textInformativo Feijão Revolução Nº08 22:11 Thu 16 Mar by Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares 0 comments

Informativo Feijão Revolução Nº08; Mar/06
“Alimentando a luta pela liberdade!”

Anarquismo é luta!! imageFAO - Fórum do Anarquismo Organizado - Brasil 07:16 Thu 12 Jan by Secretaria Nacional do FAO 8 comments

Fórum do Anarquismo Organizado

textQuem Somos, O que Queremos e o Nosso Caminho a Seguir 05:03 Fri 06 Jan by Luis Antonio 0 comments

Organismo anarquista organicista-especifista (plataformista).

imageA sessão final do golpe com nome de impeachment no Senado, parte 2 – epílogo da Operação Café Filho Sep 11 by Bruno Lima Rocha 0 comments

No final da manhã e início da tarde de quarta feira, 31 de agosto de 2016, o Brasil assistiu pela televisão aberta e por assinatura, a destituição da presidente Dilma Rousseff, com pouco mais de um ano e meio decorridos de seu segundo mandato. A traição teve como um dos pivôs o próprio vice, Michel Temer, eleito e reeleito junto à Dilma, com a bênção de Lula e da direção nacional do PT. Neste breve texto, trago algumas evidências, categorias e debates os quais entendo como urgentemente necessários.

imageA sessão final do golpe com nome de impeachment no Senado – parte 1 Sep 11 by Bruno Lima Rocha 0 comments

A manhã de 26 de agosto de 2016, na sessão especial do julgamento do Senado presidida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Ricardo Lewandowski, demonstrou a ruptura entre a oligarquia e a ex-esquerda. Ao definir o andamento do processo de impeachment, o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), definiu o mesmo como “um hospício” e na sequência afirmou que fez pressão e intermediou a retirada do indiciamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e de seu marido, o ex-ministro das Comunicações e do Planejamento, Paulo Bernardo.

text[Brasil, AL]O Circo Eleitoral e Realidade dos Trabalhadores Alagoanos Sep 14 by Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares 0 comments

“Nossa vocação, nosso destino” O principal produto da economia alagoana, a cana-de-açúcar, foi implantada pelos portugueses no século XVI como estratégia para garantir a ocupação do território e conseqüente colonização do Brasil. A economia era sustentada pela mão-de-obra escrava dos negros trazidos da África e na grande concentração de terras (latifúndios). Passados cinco séculos, a economia de Alagoas, embora mais diversificada e complexa, não está diferente de seu eixo de sustentação: continua sendo baseada na super-exploração do trabalho nas usinas de cana-de-açúcar pelas oligarquias herdeiras do sistema colonial.

text[Brasil, Goiás] Informe Anarquista nº04 Mar 22 by Coletivo pró Organização Anarquista em Goiás 0 comments

Saudações companheiras/os,
saiu o Informe Anarquista nº04 (Março, Abril, Maio de 2006) informativo trimestral do Coletivo pró Organização Anarquista em Goiás

imageFAO - Fórum do Anarquismo Organizado - Brasil Jan 12 Fórum do Anarquismo Organizado 8 comments

Fórum do Anarquismo Organizado

textQuem Somos, O que Queremos e o Nosso Caminho a Seguir Jan 06 Coletivo Comunista Anarquista 0 comments

Organismo anarquista organicista-especifista (plataformista).

© 2005-2017 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]