user preferences

Da barbárie colonial à política nazista de extermínio

category internacional | anti-fascismo | other libertarian press author Thursday October 12, 2006 08:15author by Francisco Trindade Report this post to the editors

Da barbárie colonial à política nazista de extermínio

Da barbárie colonial à política nazista de extermínio


Apresentamos o novo texto do blog http://www.franciscotrindade.blogspot.com

Texto intitulado

Da barbárie colonial à política nazista de extermínio

Segue-se excerto do texto que pode ser lido na íntegra em
http://www.franciscotrindade.blogspot.com

A autora de "A Ferocidade branca" [Albin Michel, 2001] desenvolve uma argumentação original e pertinente que Césaire exprimira com convicção no seu "Discurso sobre o colonialismo", o elo entre as políticas de destruição colonial, o enselvageamento das sociedades europeias e, em retorno, o choque do nazismo sobre essas mesmas sociedades. Afrikara publica o texto duma comunicação dessa militante afro-descendente, apresentada dia 15 de Junho em Berlim no âmbito do Fórum de Diálogo organizado pela secção europeia da Fundação AfricAvenir.

Estamos reunidos aqui para analisar em conjunto o elo histórico que, como um fio condutor, leva da barbárie colonial à política nazista de extermínio. Trata-se de um esforço que visa detectar pelo menos a maioria dos factores que, de maneira directa ou indirecta, teriam favorecido o desenvolvimento político e o desabrochar ideológico da empresa de desumanização que foi a barbárie nazista, na Alemanha e para lá das suas fronteiras.

Esta contribuição será útil a todo o esforço que almeje pôr fim a todo o tipo de discriminação, donde quer que ela venha; a começar pela discriminação que consiste em classificar os crimes, para mais tarde, segundo a identidade das vítimas ou, por vezes, a dos carrascos, seleccionar o crime que se deve condenar. Esta hierarquização dos crimes e, portanto, a da sua condenação, continua sendo um entrave decisivo na luta pela prevenção dos crimes contra a humanidade, entre os quais o crime de genocídio.

Escravatura e tráfico de escravos

Convém precisar logo de princípio que as guerras de conquista e os crimes associados ao domínio colonial, tal como a redução de seres humanos à escravatura, eram já realidade desde tempos imemoriais. Por exemplo, quando o domínio dos árabes muçulmanos se estende em direcção à Europa, o comércio de seres humanos é já uma actividade milenar entre os europeus. O reinado do Islão em Espanha de 711 até 1492 limitou-se a dinamizar o tráfico de escravos dentro de Europa [1] , fazendo do continente um importante fornecedor de escravos, homens e mulheres, expedidos para os países do Islão.

Os prisioneiros, maioritariamente eslavos, alimentavam o comércio de homens entre Veneza e o império arabo-muçulmano do Mediterrâneo sul. É assim que nas línguas ocidentais a palavra "escravo" ou "eslavo" substitui o "servus" latino para designar os trabalhadores privados de liberdade. Dito doutra maneira, durante vários séculos cristãos europeus venderam outros europeus a comerciantes judeus especializados no fabrico de eunucos [2] , mercadoria bastante consumida e fortemente solicitada nos países do império muçulmano.


Textos de ontem:

Margarida Rebelo Pinto prepara versão limpa de repetições e erros do último romance: Panfleto estará à venda em Junho
A górgone de Sacavém
EUA: Os media preparam a próxima guerra
Gaza está a morrer
NOAM CHOMSKY SOBRE o ANARQUISMO
Ceder ou lutar?
GUERRA DE ESPANHA. Uma revisão geral

Saudações proudhonianas
Até breve
Francisco Trindade

Related Link: http://www.franciscotrindade.blogspot.com/
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch

Front page

International anarchist call for solidarity: Earthquake in Turkey, Syria and Kurdistan

Elements of Anarchist Theory and Strategy

19 de Julio: Cuando el pueblo se levanta, escribe la historia

International anarchist solidarity against Turkish state repression

Declaración Anarquista Internacional por el Primero de Mayo, 2022

Le vieux monde opprime les femmes et les minorités de genre. Leur force le détruira !

Against Militarism and War: For self-organised struggle and social revolution

Declaração anarquista internacional sobre a pandemia da Covid-19

La révolution du Rojava a défendu le monde, maintenant le monde doit défendre la révolution du Rojava!

Anarchist Theory and History in Global Perspective

Trans Rights is a Class Issue

Capitalism, Anti-Capitalism and Popular Organisation [Booklet]

AUKUS: A big step toward war

Reflexiones sobre la situación de Afganistán

Αυτοοργάνωση ή Χάος

South Africa: Historic rupture or warring brothers again?

Declaración Anarquista Internacional: A 85 Años De La Revolución Española. Sus Enseñanzas Y Su Legado.

Death or Renewal: Is the Climate Crisis the Final Crisis?

Gleichheit und Freiheit stehen nicht zur Debatte!

Contre la guerre au Kurdistan irakien, contre la traîtrise du PDK

Meurtre de Clément Méric : l’enjeu politique du procès en appel

Comunicado sobre el Paro Nacional y las Jornadas de Protesta en Colombia

The Broken Promises of Vietnam

Premier Mai : Un coup porté contre l’un·e d’entre nous est un coup porté contre nous tou·tes

© 2005-2023 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]