user preferences

New Events

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

no event posted in the last week

A Comissão da Verdade e a punição parcial

category brazil/guyana/suriname/fguiana | crime prison and punishment | opinião / análise author Sunday September 23, 2012 01:18author by Bruno Lima Rocha Report this post to the editors

Comissão da verdade restringe investigação a agentes públicos.

militantesmilitares.jpg

Finalmente a pauta de direitos humanos recebe notícia minimamente razoável. Como se já não fosse absurda a situação de lançamento da Comissão da Verdade, então um subproduto da pugna entre o ministro de Direitos Humanos e o ex-ministro da Justiça de FHC (Nelson Jobim, ministro da Defesa de Lula e ex de Dilma), esta vivia duas vergonhosas atribuições, da qual se livrara de uma.

A primeira vergonha, parcialmente suplantada, é simples. Esta comissão conhecida entre os ativistas da Memória Histórica como a da “meia verdade”, tinha de observar os crimes contra os direitos humanos a partir de todo o período da democracia pós-Vargas (conhecido equivocadamente como ciclo “populista”, iniciado em 1946) até a promulgação da Constituição de 1988.

Agora ao menos o foco será o período da ditadura militar (1964-1985) e o alvo das investigações serão os agentes do Estado (formais e irregulares), negando assim a reprodução da teoria dos dois demônios.

Ora, por mais que as viúvas da ditadura gritem, ou então o fã clube da tigrada e os saudosistas dos porões reclamem, o problema é simples. O Estado deve salvaguardar, sob a tutela da lei, aos seus cidadãos, mesmo que estes sejam dissidentes armados ou da delinqüência comum.

Tanto era necessária a base legal que durante o governo Médici, estabeleceu-se o Estado de Guerra Interna, o qual era regido por uma série de leis marciais, boa parte destas arquitetada pelo comando da repressão capitaneado pelo general Orlando Geisel (irmão de Ernesto Geisel) e braço direito do presidente natural de Bagé.

Já a segunda vergonha não é responsabilidade dos membros da Comissão da Verdade e sim deste governo (como continuidade do anterior) que em nada se empenha para punir os genocidas e criminosos de lesa-humanidade. Em toda a América Latina temos militares assassinos condenados, sendo que na Argentina e Uruguai, gabinetes inteiros de governos ditatoriais, incluindo membros castrenses e civis, estão presos.

No Brasil, houvesse o emprego da popularidade de um ex-preso sindical (Lula) e uma ex-presa política (Dilma), poderíamos ter um clamor popular e rever a Lei de Anistia, já que os crimes de tortura, seqüestro, desaparição forçada, dentre outras barbaridades, não prescrevem.

Mas, o que esperar de gente que, envergonhada, arrependida, caricata de seu próprio passado, opta por aliar-se com as oligarquias recheadas de arenistas? Alegam que este é o custo da governabilidade e não convém mexer no vespeiro do passado. Não é conveniente para quem?

Bruno Lima Rocha

Related Link: http://estrategiaeanalise.com.br
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Employees at the Zarfati Garage in Mishur Adumim vote to strike on July 22, 2014. (Photo courtesy of Ma’an workers union)

Front page

Reseña del libro de José Luis Carretero Miramar “Eduardo Barriobero: Las Luchas de un Jabalí” (Queimada Ediciones, 2017)

Análise da crise política do início da queda do governo Temer

Dès maintenant, passons de la défiance à la résistance sociale !

17 maggio, giornata internazionale contro l’omofobia.

Los Mártires de Chicago: historia de un crimen de clase en la tierra de la “democracia y la libertad”

Strike in Cachoeirinha

(Bielorrusia) ¡Libertad inmediata a nuestro compañero Mikola Dziadok!

DAF’ın Referandum Üzerine Birinci Bildirisi:

Cajamarca, Tolima: consulta popular y disputa por el territorio

Statement on the Schmidt Case and Proposed Commission of Inquiry

Aodhan Ó Ríordáin: Playing The Big Man in America

Nós anarquistas saudamos o 8 de março: dia internacional de luta e resistência das mulheres!

Özgürlüğümüz Mücadelemizdedir

IWD 2017: Celebrating a new revolution

Solidarité avec Théo et toutes les victimes des violences policières ! Non à la loi « Sécurité Publique » !

Solidaridad y Defensa de las Comunidades Frente al Avance del Paramilitarismo en el Cauca

A Conservative Threat Offers New Opportunities for Working Class Feminism

De las colectivizaciones al 15M: 80 años de lucha por la autogestión en España

False hope, broken promises: Obama’s belligerent legacy

Primer encuentro feminista Solidaridad – Federación Comunista Libertaria

Devrimci Anarşist Tutsak Umut Fırat Süvarioğulları Açlık Grevinin 39 Gününde

The Fall of Aleppo

Italia - Ricostruire opposizione sociale organizzata dal basso. Costruire un progetto collettivo per l’alternativa libertaria.

Recordando a César Roa, luchador de la caña

© 2005-2017 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]