user preferences

New Events

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

no event posted in the last week
Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana - Anarchist Communist Event
Wednesday October 05 2011
06:00 PM

Rio de Janeiro: Lançamento do livro sobre Comuna de Paris “Negras Tormentas”

category brazil/guyana/suriname/fguiana | história do anarquismo | anarchist communist event author Wednesday October 05, 2011 06:22author by Federação Anarquista do Rio de Janeiro - FARJ Report this post to the editors

No dia 05 de Outubro acontecerá o lançamento de um título de importância seminal para todos aqueles que lutam e acreditam na ruptura radical com o sistema de dominação capitalista. O livro “Negras Tormentas: o Federalismo e o Internacionalismo na Comuna de Paris”.

cartaz_comuna_web.jpg

No dia 05 de Outubro acontecerá o lançamento de um título de importância seminal para todos aqueles que lutam e acreditam na ruptura radical com o sistema de dominação capitalista. O livro “Negras Tormentas: o Federalismo e o Internacionalismo na Comuna de Paris”.

Conforme colocado pelo professor da UFF Wallace dos Santos de Moraes na orelha do livro, a presente obra “deve ser saudada com uma grande festa, tanto pela comunidade acadêmica como pelos leitores em geral”. Ele continua: “O leitor do século XXI deve colocar três grandes questões sobre a Comuna de Paris: 1) Como foi possível realizá-la? 2) Como foi seu desenvolvimento? 3) Qual foi seu legado? A obra de Samis trata dessas questões de forma magistral, respondendo-as sempre no plural, isto é, chamando a atenção para os diversos fatores que influenciaram na possibilidade, na necessidade e nos resultados da eclosão da Comuna. Para além disso, aquele que se debruçar sobre a obra terá a oportunidade de conhecer a gênese desse episódio nos seus aspectos mais longínquos.

Alexandre Samis é doutor em História pela Universidade Federal Fluminense e professor do Colégio Pedro II. Também escreveu os livros Clevelândia: anarquismo, sindicalismo e repressão política no Brasil (Imaginário/Achaimé, 2002) e Minha pátria é o mundo inteiro: Neno Vasco, o anarquismo e o sindicalismo revolucionário em dois mundos (Letra Livre, 2009).

author by Carlos Baqueiro - Os Inimigos do Reipublication date Fri Nov 11, 2011 05:05author email cbaqueiro at terra dot com dot brReport this post to the editors

No dia 05 de Outubro aconteceu no Sindipetro do Rio de Janeiro o lançamento de um título importante para todos aqueles que ainda creem nas possibilidades de mudanças de rumos na História de nosso mundinho chamado Terra.

O livro “Negras Tormentas: o Federalismo e o Internacionalismo na Comuna de Paris”, de autoria do anarquista carioca Alexandre Samis.

Alexandre é doutor em História pela Universidade Federal Fluminense e professor do Colégio Pedro II. Também escreveu os livros Clevelândia: anarquismo, sindicalismo e repressão política no Brasil (Imaginário/Achiamé, 2002) e Minha pátria é o mundo inteiro: Neno Vasco, o anarquismo e o sindicalismo revolucionário em dois mundos (Letra Livre, 2009).

Fiz duas perguntinhas a ele. Seguem as questões e suas respostas.

- De que serve a um indivíduo comum entender o que se passou há tanto tempo na Comuna de Paris ?

Sabemos que os eventos históricos não se repetem e que as sociedades onde eles tiveram lugar e o tempo no qual aconteceram são únicos. Não é possível, portanto, extrair destes acontecimentos lições com o caráter absoluto, aplicáveis a outros tempos e sociedades, mecanicamente, como uma colagem. Todavia, estudar estas experiências é fundamental, uma vez que elas podem revelar as formas através das quais os indivíduos, grupos e mesmo uma cidade inteira, como foi o caso da Comuna, conseguiram em determinada circunstância romper com os paradigmas dominantes de uma época. Estudar a Comuna de Paris é menos uma homenagem nostálgica do que uma forma de entender como irrompem as lutas sociais em uma sociedade estratificada em classes sob a ordem do capital. Indo mesmo muito além da erudiçã o acadêmica, o estudo de casos como este, permite utilizar a História como ferramenta de transformação, uma vez que o simbolismo de certas realizações serve de manancial, de inspiração, para atitudes contemporâneas.

- O que levou você a escrever sobre esse acontecimento?

A Comuna foi a realização de uma parcela significativa dos trabalhadores de Paris. Foi, antes de tudo, um fenômeno de autoinstituição da classe, conceito tomado emprestado de Cornelius Castoriadis. Ela não foi, como tentou-se fazer crer depois disso, uma efeméride tributária de uma ideologia e muito menos realizada a partir das prescrições de alguma mente brilhante. A Comuna foi a realização de um ente coletivo – podemos chamar de povo, como gostava de classificar Proudhon as diversas forças sociais, ou o Partido do Trabalho – organizado a partir de uma tradição federalista e internacionalista. Contou com a colaboração de mutualistas, coletivistas, jacobinos e blanquistas, todos estes subordinados a um projeto coletivo emanado dos bairros, locais aliás onde aconteceram de fato as coisas. Foi também imensamente influenciada pelos membros da Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT), não pelas ordens que chegavam de Londres, do Conselho Geral, mas das 35 seções que existiam dentro de Paris, espalhadas pelos 20 distritos da capital.

Estes trabalhadores, quase todos anônimos, reconhecidos entretanto pelos seus iguais nos locais de trabalho e moradia, é que deram consequência aos atos de motim que tiveram lugar no dia 18 de março de 1871. Muitos deles estavam inclusive dentro dos batalhões da Guarda Nacional, envergando o uniforme azul e empunhando a bandeira vermelha que passou a representar o projeto de República Social.

Isso não tinha sido dito ainda no Brasil.

Related Link: http://osinimigosdorei3.blogspot.com
 
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Employees at the Zarfati Garage in Mishur Adumim vote to strike on July 22, 2014. (Photo courtesy of Ma’an workers union)

Front page

Democracia direta já! Barrar as reformas nas ruas e construir o Poder Popular!

Reseña del libro de José Luis Carretero Miramar “Eduardo Barriobero: Las Luchas de un Jabalí” (Queimada Ediciones, 2017)

Análise da crise política do início da queda do governo Temer

Dès maintenant, passons de la défiance à la résistance sociale !

17 maggio, giornata internazionale contro l’omofobia.

Los Mártires de Chicago: historia de un crimen de clase en la tierra de la “democracia y la libertad”

Strike in Cachoeirinha

(Bielorrusia) ¡Libertad inmediata a nuestro compañero Mikola Dziadok!

DAF’ın Referandum Üzerine Birinci Bildirisi:

Cajamarca, Tolima: consulta popular y disputa por el territorio

Statement on the Schmidt Case and Proposed Commission of Inquiry

Aodhan Ó Ríordáin: Playing The Big Man in America

Nós anarquistas saudamos o 8 de março: dia internacional de luta e resistência das mulheres!

Özgürlüğümüz Mücadelemizdedir

IWD 2017: Celebrating a new revolution

Solidarité avec Théo et toutes les victimes des violences policières ! Non à la loi « Sécurité Publique » !

Solidaridad y Defensa de las Comunidades Frente al Avance del Paramilitarismo en el Cauca

A Conservative Threat Offers New Opportunities for Working Class Feminism

De las colectivizaciones al 15M: 80 años de lucha por la autogestión en España

False hope, broken promises: Obama’s belligerent legacy

Primer encuentro feminista Solidaridad – Federación Comunista Libertaria

Devrimci Anarşist Tutsak Umut Fırat Süvarioğulları Açlık Grevinin 39 Gününde

The Fall of Aleppo

Italia - Ricostruire opposizione sociale organizzata dal basso. Costruire un progetto collettivo per l’alternativa libertaria.

© 2005-2017 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]