user preferences

Upcoming Events

Economy

No upcoming events.
greece / turkey / cyprus / economy Tuesday March 19, 2013 17:38 byPaul Bowman   text 2 comments (last - thursday march 28, 2013 05:38)
featured image

This Saturday morning Cypriot people woke up to the news that they were about to be robbed. In a pre-planned ambush scheduled to coincide with a local bank holiday weekend, Eurozone apparatchiks threatened to bankrupt the Cypriot banking system by immediate withdrawal of the ECB liquidity support.

The "deal" forced on the Cypriots by Frankfurt means a "bail-out" of the banks to the tune of 17 billion euros, roughly equivalent to the annual GDP of the Republic that makes up the EU-recognised part of this divided island. But only 10 billion will be provided by the ECB and IMF, the other 7 billion will be taken by a combination of a 1.4 billion privatisation programme, but in bulk by robbing anyone with a bank account in Cyprus.

[Italiano]

international / Économie Wednesday November 28, 2012 22:45 byRelations Extérieures de la CGA
featured image

Le système capitaliste est en crise. La crise sociale actuelle n'est pas le fruit d'un «complot», ou de la dérive d'un mauvais «capitalisme financier» qui s'opposerait au vertueux « capitalisme industriel ». Ce n'est pas le fruit de la seule «spéculation» qui n'est qu'un des aspects du fonctionnement du capitalisme.

C'est le résultat des contradictions du système capitaliste lui-même, le résultat logique de l'organisation capitaliste de l'économie. Une organisation qui – même dans des conditions de fonctionnement « normales » - institue l'inégalité sociale, rendant inaccessible à l'immense majorité de la population la satisfaction de ses besoins de base, tout en lui rendant la vie insupportable.

[English] [Italiano]

internacional / economia Thursday May 31, 2012 20:40 byBruno Lima Rocha
featured image

Para a imprensa mundial, a chamada crise é resultado dos gastos públicos com direitos e garantias sociais. A revista The Economist tachou de perigosa a candidatura do socialista francês François Hollande. O agora presidente eleito representava, até então, o confronto entre o populismo e a austeridade.

Em setembro de 2008 o mundo informado assistia catatônico ao fenômeno que, nas ruas de Madri, ganhara a alcunha de “farsa com nome de crise”. Então, ao longo dos doze meses anteriores, o que era mais um produto de “risco” dos agentes do cassino financeiro, se transformara na “mãe de todas as bolhas”. A idéia parafraseava a consigna e bravata de Saddam Hussein, quando disse ao ex-presidente George H.W.Bush e, uma dúzia de anos depois, repetira-a para seu filho, afirmando ter o poder de enfrentar a “mãe de todas as batalhas”...

[Italiano]

internazionale / economia Monday May 28, 2012 22:33 byMonte
featured image
La crisi dell'euro

Derivati, colpa e debito, immobili e crediti nell'Unione Europea

Mentre l'Eurogruppo dei 27 informalmente si incontra e la Merkel perde le elezioni in Vestfalia, i mercati sembrano oscillanti sulle misure che verranno prese dopo le prossime elezioni in Grecia, nel caso di una fuoriuscita dall'euro; l'instabilità delle borse continua e gli spreads dei BTP e dei Bonos continuano ad oscillare.

international / Économie Friday March 02, 2012 19:30 byEuroAnarkismo
featured image

C'est en affirmant le refus des classes populaires de payer la dette des capitalistes, en luttant pied à pied contre les effets des politiques d'austérité, en organisant la solidarité concrète parmi les classes populaires et en construisant des structures de combat au sein des mouvements sociaux que les travailleurs et les travailleuses retrouveront espoir.

Communistes libertaires, nous entendons jouer un rôle dans ces luttes à la base en y favorisant la radicalisation et l'auto-organisation. Pour aller plus loin, et pour construire une solidarité internationale, une convergence des mouvements à l'échelle européenne est également nécessaire. Les capitalistes savent s'organiser à cette échelle et adopter des traités qui prétendent sceller le destin des peuples. Nous, travailleuses et travailleurs européens, n'y parvenons pas encore, même si des convergences existent dans le syndicalisme alternatif. Il est nécessaire de poursuivre cet effort et d'organiser une riposte internationale.

[English] [Ελληνικά] [Nederlands] [Română] [Italiano]

newsfilter

Economy

Tue 27 Jan, 12:49

browse text browse image

O protesto de metalúrgicos do ABC (em 12 de janeiro) contra as demissões na Volkswagen (cerca de 800) juntou trabalhadores também da Mercedes e da Ford, totalizando mais de 20.000 trabalhadores. imageJoaquim Levy e o mito do governo em disputa Jan 20 04:43 by BrunoL 0 comments

Parece que finalmente caiu a máscara e o poder central no 3º turno negociado expôs a sua verdadeira face – ou ao menos a face hegemônica. Na reportagem de CartaCapital de 18 de janeiro de 2015 (de Carlos Drummond) o ajuste fiscal aplicado pelo ministro da Fazenda Joaquim Levy foi caracterizado como "punhalada fiscal". O bom repórter da publicação que apoia o governo de centro-direita marcado pelo lulismo, ao ouvir fontes como dirigentes de centrais sindicais mais que acostumados a "dialogar" com o governo, as medidas implicam em tentativa de redução de déficit estrutural de 1,2% do PIB. A intenção de Levy e sua equipe (ou a equipe econômica indicada por Dilma, pós-graduada em economia pela Unicamp) como se sabe, intenta "sinalizar ao mercado" e outras balelas indicando que o Estado precisa diminuir seu papel e reforçar seu caráter de classe. Embora a sociedade brasileira seja bastante complexa para um país ocidental e o aparelho de Estado do governo central esteja recheada de interesses diretos e insulamentos tecnocráticos, no fundo o que está em jogo é a definição do caráter de classe do Estado e a diminuição do poder do voto individual na democracia indireta apresentada como melhor saída

textDal picco del petrolio al petrolio a picco? Jan 17 17:50 by Donato Romito 0 comments

A giugno del 2014 il prezzo al barile era di 115 dollari. Da allora è in costante discesa, ed ora costa meno della metà.
Le cause sembrano essere principalmente tre:
1. l'economia mondiale sta consumando meno petrolio di quello che i mercati avevano anticipato,
2. l'OPEC ha prodotto più petrolio di quello atteso dai mercati,
3. i signori del petrolio americano (Nord Dakota e Texas) hanno puntato sullo shale-oil.
Naturalmente i tre fattori si intrecciano.

elections_greece.jpg imageLe elezioni in Grecia fanno paura all'Unione Europea? Jan 13 18:00 by Alternativa Libertaria/FdCA 0 comments

Le elezioni ed i parlamenti come è noto non sono - per il loro carattere interclassista - strumenti in grado di rappresentare gli interessi della classe lavoratrice e degli sfruttati. E se mai si dovesse paventare che l'esito delle urne possa spostare un po' gli equilibri politici a sfavore degli interessi capitalistici internazionali o di quel singolo Stato, può persino accadere che le elezioni diventino un pericoloso momento di partecipazione e di democrazia da scongiurare.

DAF militants are very active in supporting the Rojava Social Revolution imageAn Interview to a DAF militant about the solidarity for Rojava social process Jan 11 04:01 by BrunoL 0 comments

Introduction: Since the Kobanê siege started I have been dedicated several hours per week to understand and divulgate as much as possible about this social revolution initiated in a combination of Apoism and the Syrian Civil War. As a militant, I always have been involved in international solidarity. As an Arab descendent, I always have been trying to find a reliable left-wing force combining direct action and internal democracy. As a scholar and a Professor of Geopolitics studying the region for more than 25 years, Rojava is a dream coming true. Here I start the first of some interviews to organizations with real experience in this process and on the ground. This one I’m talking to Devrimci Anarşist Faaliyet (DAF, or Revolutionary Anarchist Action). They have been very active in this activity and understand in details the whole Kurdish process, both in Rojava and inside the Turkish State frontiers.

Nesta charge a síntese de uma urgente necessidade política para além da farsa do “jogo de posições” e muito além das urnas da democracia indireta. imageAnálise preditiva para o cenário político nacional em 2015 Jan 10 04:47 by BrunoL 0 comments

Ao contrário da maior parte das postagens deste portal e os respectivos compartilhamentos, desta vez este analista se dá ao direito de ser 100% normativo. Proponho uma análise de tipo normativa (dever ser), partindo do ponto de vista de quem se posiciona pelo avanço da democracia em todos os níveis, estando a maioria organizada como agente coletivo com poder de veto diante das decisões verticais típicas de uma sociedade onde não há justiça social embora exista igualdade formal de direitos. O momento realmente é grave diante da crise do modelo do tímido keynesianismo tardio, do retrocesso localizado nas posturas neoliberais, defensoras dos astronômicos lucros do rentismo (alocando mais de 40% do orçamento da União apenas com a rolagem de juros da dívida odiosa) e partindo diretamente para o corte de direitos sociais e, por tabela, do volume de crédito e condições de vida.

bo_scr_14_3.jpg imageSottili incrinature Jan 02 22:06 by Toni Iero 0 comments

Buona parte del mondo istituzionale continua a fingere (magari qualcuno lo crede anche …) pensando che sia sufficiente aspettare l’arrivo di una mitica ripresa economica per ritornare a stare come prima, mentre chi analizza con onestà intellettuale e libertà di giudizio il contesto economico non può che trarre considerazioni di ben altra natura.

Barack Obama e Raúl Castro localizam interesses confluentes na reaproximação diplomática e distensão comercial; tal ação pode gerar ganhos econômicos binacionais e o consequente enfraquecimento de posições ideológicas acirradas, por direita e por esquerda imageEUA, Cuba e a projeção geoestratégica Dec 23 08:40 by BrunoL 0 comments

A reaproximação progressiva entre Estados Unidos e Cuba foi anunciada na tarde de 4ª, 17 de dezembro, com a solenidade devida. Simultaneamente, o presidente dos EUA Barack Obama e o comandante em chefe (com status de general) Raúl Castro, informaram ao mundo e em especial para a América Latina que as relações entre os dois países passarão por uma distensão progressiva. Vários são os eixos de análise possíveis para discutir o caso. Neste breve texto damos ênfase para a dimensão geopolítica, dentro da projeção dos EUA e suas esferas de influência diretas e indiretas para a América Latina e no Caribe. Também observo, sob um ângulo geoestratégico, a preocupação dos EUA com o aumento da presença de capitais chineses em Cuba e a franca adesão do chefe de Estado cubano a uma linha chinesa pós-Deng Xiao Ping. Reconheço que para a sociedade cubana e a percepção da ilha como espaço de resistência anti-imperialista em nosso continente, o ambiente doméstico dentro da terra de José Martí e a contraparte dos gusanos na interna da direita cubana-estadunidense é mais relevante. Deixo esta análise para outra ocasião, concentrando-me agora no aspecto estratégico para os Estados e não para as forças político-sociais correspondentes.

A sonegação fiscal é parte da agenda oculta do novo ministro banqueiro; o mesmo se dá com qualquer outro tema relacionado ao rentismo e a dívida odiosa. image“Contabilidade criativa” e a incrível capacidade do governo em piorar a relação política a... Dec 18 08:03 by BrunoL 0 comments

17 de dezembro de 2014, Bruno Lima Rocha

No Brasil, a estimativa de perdas (ou gastos) com a corrupção é da ordem de R$ 69 bilhões de reais ao ano. Já a sonegação (sem contar a injustiça fiscal) chega a R$ 415 bilhões de reais. E, por fim, se da sonegação (e o sonegômetro quase ninguém fala), a gastança com a rolagem da dívida odiosa é ainda mais ocultada. Este gasto é da ordem de R$ 718 bilhões de reais ao ano! Esconder estes números e inverter as prioridades é o conluio da mídia hegemônica com os operadores do mercado financeiro e seus representantes, dentro e fora do governo de turno.

marxes.jpg imageLas Marchas de la Dignidad acuerdan convocar huelga general Dec 16 18:58 by Confederación General del Trabajo 0 comments

- Desde CGT se considera que se está ante un momento histórico en el devenir de las luchas obreras y sociales
- Se convocará una huelga general laboral, social y de consumo el 22 de octubre de 2015
- CGT entiende que la lucha es la única garantía de defensa de los derechos, gobierne quien gobierne

Kobanê è circondata dall'ISIS ed alle sue spalle il potente esercito turco taglia le linee di rifornimento per la città governata dalla Autonomia Democratica a maggioranza curda. imageIl fronte della Rojava ed il complesso teatro delle operazioni della rivoluzione sociale c... Dec 16 14:30 by BrunoL 0 comments

L'analisi è relativamente complessa e la risultante sembra essere semplice. Le forze sociali della Rojava sono circondate avendo alle spalle il confine con la Turchia. Prima della liberazione della parte siriana del Kurdistan, le vie usate dai trafficanti di armi per l'approvvigionamento logistico dei jihadisti potevano contare sull'aiuto (tolleranza) dello Stato turco. Dopo il luglio 2012, le YPG, milizie di autodifesa organicamente legate alla TEV-Dem [composizione delle forze sociali egemonizzade dal PYD (Partito di Unione Democratica) che organizza la società locale] hanno cominciato a chiudere il confine nella ricerca di una autonomia regionale. [Castellano]

Antes el bloqueo de la parte siria de Kurdistán, las líneas de los traficantes de armas y el suministro logístico de jihadistas, se realizó (tolerada) por el Estado turco. imageEl frente de Rojava y el complejo escenario de la revolución social kurda Dec 15 09:02 by BrunoL 0 comments

Por Bruno Lima Rocha

El análisis es relativamente complejo y el resultado parece ser simple. Las fuerzas sociales de Rojava, están rodeadas en la retaguardia, por el cierre de la frontera realizado por Turquía. Antes el bloqueo de la parte siria de Kurdistán, las líneas de los traficantes de armas y el suministro logístico de jihadistas, se realizó (tolerada) por el Estado turco. Después de julio de 2012, el YPG, milicia de autodefensa orgánicamente ligada a la TEV-Dem (composición de las fuerzas sociales hegemonizadas) y el PYD (Partido de la Unión Democrática), con la organización de la sociedad local) comenzó a cerrar la frontera en busca de una autonomía regional. [Português]

A ex-guerrilheira, o ex-sindicalista que segundo o próprio nunca fora de esquerda e o eterno Chicago Boy, direto das hostes de Milton Friedman para, sob a bênção de Lázaro Brandão, governar a 7ª economia do mundo. Para a massa iludida do “voto ideológico” imageLevy e a vitória de Pirro da “esquerda” - análise de conjuntura, semana de 30 de novembro ... Dec 03 09:46 by BrunoL 0 comments

Bruno Lima Rocha

Introdução

Nesta semana, verificamos mais conseqüências nefastas do 3º Turno e o mito do governo em disputa. Como quase sempre ocorre a esquerda cujas urgências nunca couberam nas urnas da democracia indireta está mais que correta. O manifesto de intelectuais, militantes, coletivos e indivíduos que se aglutinam em torno das idéias do portal Carta Maior (24/11/14) expressa uma correta indignação daqueles que apoiaram a candidatura de Dilma, cerraram fileiras para o apertado 2º turno e agora se vêem diante do estelionato eleitoral.

A ex-guerrilheira, o ex-sindicalista que segundo o próprio nunca fora de esquerda e o eterno Chicago Boy, direto das hostes de Milton Friedman para, sob a bênção de Lázaro Brandão, governar a 7ª economia do mundo. Para a massa iludida do “voto ideológico” imageLevy e a vitória de Pirro da “esquerda” - análise de conjuntura, semana de 30 de novembro ... Dec 03 09:40 by BrunoL 0 comments

Bruno Lima Rocha

Introdução

Nesta semana, verificamos mais conseqüências nefastas do 3º Turno e o mito do governo em disputa. Como quase sempre ocorre a esquerda cujas urgências nunca couberam nas urnas da democracia indireta está mais que correta. O manifesto de intelectuais, militantes, coletivos e indivíduos que se aglutinam em torno das idéias do portal Carta Maior (24/11/14) expressa uma correta indignação daqueles que apoiaram a candidatura de Dilma, cerraram fileiras para o apertado 2º turno e agora se vêem diante do estelionato eleitoral.

O oeste do Curdistão, região cujo nome em curdo é Rojava, representa uma esperança de novas relações sociais para sociedades de maioria islâmica e operam como um catalisador de solidariedade global. imageNo Curdistão reside a esperança do Oriente Médio e da Ásia Central Dec 01 17:49 by BrunoL 0 comments

30 de novembro de 2014, Bruno Lima Rocha

Em tempos de barbaridades promovidas pela atuação do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIS), a resistência em Kobane, terceira cidade mais importante dos curdos, localizada na fronteira entre a Síria (ou o que dela resta) e da República da Turquia, reforça a esperança de uma sociedade não sectária e democrática no Oriente Médio, e com influências até a Ásia Central. [Italiano]

El programa apunta en la línea editorial, de pregones neo-neo-neo (neoliberal, neoclásica, neo institucional) y manipulación periodística. La línea editorial no es problema y sí la ausencia del elemento contradictorio. imageSueña la derecha que no ganó las elecciones presidenciales de octubre Dec 01 17:42 by BrunoL 0 comments

Por: Bruno Lima Rocha,

Estamos percibiendo un nuevo escenario en Brasil. Una hipotética tercera vuelta de las elecciones, representada en la composición de una mayoría, en la búsqueda de lograr la gobernabilidad para este nuevo período, dando paso al concepto de presidencialismo de una nueva coalición. Tal concepto seria la llave en la política brasileña - si fuera observado sin sentido crítico - porque entra como parte de las fantasías neo institucionalistas. Si fuera analizado por su naturaleza sustantiva, se revela la posición de gobierno, el cual hace campaña al lado de 10 partidos, aunque esconda en su propuesta, la defensa de conceptos oligárquicos en los programas de Televisión y Radios.

Joaquim Levy no Fórum Econômico Mundial e a defesa incondicional das margens asiáticas aplicadas para os operadores de mercado no Brasil. O amigo de Armínio Fraga marcha para a conquista da Fazenda da União. imageO 3º turno pautado pela direita que não ganhou as eleições presidenciais de outubro. Análi... Nov 27 07:37 by BrunoL 0 comments

Bruno Lima Rocha, de 23 a 29 de novembro de 2014

Introdução

Estamos diante de um novo fenômeno. O 3º turno no Brasil era na composição de maioria, na busca desenfreada pela tal da governabilidade, dando carne ao conceito de presidencialismo de coalizão. Tal conceito-chave na política brasileira - se for observado sem senso crítico - entra nas falácias neoinstitucionalistas. Se for traduzido pela sua natureza substantiva, revela-se a condição de governo de quem faz campanha ao lado de 10 partidos, embora esconda as legendas oligárquicas nos programas de TV e Rádio. Agora o 3º turno ultrapassa as raias do absurdo e trata do seqüestro da pauta por direita, havendo uma corrida de cancha reta entre o Planalto (ou Dilma e Lula, mais apropriadamente dito) e a oposição neoliberal, apostando o páreo para ver quem alinha de forma mais convicta com o receituário da “retomada de confiança do mercado”. Nesta corrida infeliz, cumpre papéis preponderantes tanto a pressão midiática – como veremos no tópico logo abaixo – como a execução da teoria das portas giratórias, onde o pivô é um alto executivo de finanças que entra e sai do aparelho de Estado como se este fosse o prolongamento de suas atividades privadas. As palavras que seguem não são propaganda ideológica embora não percam sentido de crenças e normatividade. Reforço que não são propícias para quem vive em estado de pensamento mágico, confundindo o apelo publicitário do marketing político com a política nua e crua, embora com requintes de sofisticação, realizada por e pelo andar de cima do Brasil.

La disputa directa generada de Aécio Neves y la dirección nacional del PSDB antes de la reconstrucción del gobierno reelecto, su objetivo es acumular la fuerza electoral de 2018 imageMarchas del 15 de noviembre en el epicentro de la política brasileña Nov 25 10:49 by BrunoL 0 comments

Por Bruno Lima Rocha

El debate a respecto del escenario post-electoral, en contra de lo que muchos esperaban, no han disminuido. Ha aumentado la intensidad de las protestas por la derecha, y al mismo tiempo, abre todo un abanico de posibilidades para poner al gobierno elegido contra la pared, lo que reduce aún más su bajo margen de maniobra. Podemos identificar cuatro posibilidades dentro del complejo escenario donde se realizan escenarios simultáneos de lucha.

Dilma Rousseff gana las elecciones en la sociedad brasileña apretado y polarizada. imageBrasil, la victoria apretada del lulismo y la previsión de otros cuatro turbulentos por de... Nov 24 03:07 by BrunoL 0 comments

Por: Bruno Lima Rocha

Continuando con el artículo anterior, nos fijamos en las cuestiones todavía no ha abordado cómo la victoria electoral de Dilma Rousseff (PT) y las perspectivas de la predicción. La primera idea de que uno debe tener es el impacto y el impacto de las elecciones presidenciales en América Latina. La victoria del lulismo, que ofrece un lado por un centro-izquierda para la clase y nada en el otro, una política exterior autonomista clara opera como una influencia para la izquierda latinoamericana.

Dilma Rousseff aseguró su reelección con una campaña con convocatoria popular y con sus aliados de la otra derecha, no la de los neoliberales y sin con los oligarcas que siempre son gobierno. imageBrasil, la apretada victoria del lulismo y la previsión de cuatro años turbulentos por del... Nov 24 02:49 by BrunoL 0 comments

Bruno Lima Rocha*

Las elecciones presidenciales de Brasil concluyen una segunda vuelta que culmina en la inédita segunda reelección de un partido de gobierno. La actual presidenta Dilma Rousseff (PT) obtuvo el 51,64% de los votos, totalizando 54.499.901 electores. El senador Aécio Neves (PDSB) recibió el 48,36% de los votos con un total de 51.041.010. El polarizado pleito presentó una victoria aplastante del lulismo en la Región Nordeste, pero fue definida en la votación de la coalición Con La Fuerza del Pueblo en Río de Janeiro y Minas Gerais. El empeoramiento político deja legado y no desaparece con el fin de la campaña. El país no está necesariamente dividido pero puede pasar por momentos de inestabilidad, en especial en los próximos doce meses. Los últimos días antes de las elecciones y los factores mediáticos ciertamente ya produjeron secuelas.

Luiz Carlos Trabuco, presidente executivo do Bradesco, assim como Henrique Meirelles, foi cotado pelo Planalto para emplacar na pasta da Fazenda do 2º governo de Dilma. imageDebatendo com Carlos Alberto Sardenberg - as caracterizações e sinais de Dilma Rousseff di... Nov 19 08:29 by BrunoL 0 comments

Poucas vezes pude concordar tanto com Sardenberg (se é que não foi primeira), âncora da CBN, colunista do Jornal da Globo, blogueiro e jornalista da velha guarda no rumo inexorável da curva à direita já feita por Paulo Francis, dentre outros. O comentarista de economia do jornal noturno da empresa líder sugere para Dilma a cópia do modelo de comportamento chinês, pois segundo o próprio:

"Os líderes chineses têm uma habilidade especial para adotar políticas pró-mercado com uma retórica de esquerda para agradar esse lado do Partido. Vire à direita, dê sinal à esquerda — tal é o ensinamento."

O deputado fluminense e eminente cardeal do Congresso Eduardo Cunha – líder do PMDB - é apontado pelo ainda presidente da câmara baixa tupiniquim, o potiguar e também peemedebista Henrique Eduardo Alves, como seu sucessor. imageAnálise de conjuntura pós-eleitoral – passada uma semana da reeleição, a chantagem institu... Nov 03 09:07 by BrunoL 0 comments

Análise de conjuntura pós-eleitoral – passada uma semana da reeleição, a chantagem institucionalizada e o caminho para um governo acuado

Bruno Lima Rocha, 1º de novembro de 2014

O domingo dia 26 de outubro foi um marco na história política recente do país. O mesmo projeto de governo emplacava seu quarto mandato consecutivo, realizando a proeza de reeleger uma ex-guerrilheira indicada como sucessora de um ex-dirigente sindical. Tudo seria um mar de rosas, se estas mesmas rosas, ao contrário do que disse Mestre Cartola, não roubam “perfumes de musas do carnaval” e sim o odor fétido do submundo da política oligárquica que todos vêem e ainda poucos são taxativos a este respeito. Se pudermos caracterizar o momento do curtíssimo prazo pós-reeleição, trata-se de algo muito perigoso.

De un lado tenemos una coalición de centro-derecha, encabezada por el PT y coaligada con los oligarcas de siempre. imageLos financistas del mundo y la elección en Brasil Oct 24 09:08 by BrunoL 0 comments

La segunda vuelta de las elecciones brasileras tiene relación directa con: la proyección del país, la alianza estratégica del bloque político del Mercado Común del Sur (MERCOSUR) y el alineamiento del Brasil dentro de la globalización corporativa: La política exterior de Lula extendida por Dilma (con algunas correcciones en su pragmatismo) es estructuralmente distinta de la del período de Fernando Henrique Cardoso. Se cambiaron el eje y el enfoque. A escala mundial nuestro país refuerza las relaciones Sur-Sur, priorizando específicamente las inversiones en infraestructura y cadenas productivas de América Latina y África. Brasil es hoy un motor del capitalismo mundial. Quien gane en las urnas comandará la 7ª economía mundal.

La primera vuelta de las elecciones presidenciales en Brasil trajo algunos problemas de continuidad para el gobierno de coalición. imageBrasil y la Carrera Electoral en la segunda vuelta – 1 Oct 14 09:52 by BrunoL 0 comments

Bruno Lima Rocha*

El país líder de América Latina, de Mercosur y de los acuerdos diplomáticos latinoamericanos se ve hoy en una encrucijada. Existe un consenso desde el medio hacia abajo de la pirámide social brasileña. Nuestro votante medio admite de hecho un retroceso en términos de políticas públicas, no tolerando un discurso que implica la reducción del papel del Estado en la economía y en el logro de los avances en las condiciones materiales de la vida. Marina Silva, exministra del PT para el Medio Ambiente (en el primer gobierno y hasta la mitad del segundo gobierno de Lula) no pudo explicar cómo propone una "nueva política" y tuvo la participación de economistas neoliberales en su equipo formulador del programa de gobierno. El postulado por el PSDB, el senador Aécio Neves y su partido han tenido –y tienen– para explicar (y hacer creer) que en ningún caso irán a desmantelar el aparato de las políticas sociales del lulismo.

stopttip.jpg imageSiamo proprio trattati male! Oct 12 13:52 by Federazione dei Comunisti Anarchici 0 comments

Sabato 11 ottobre partecipiamo alla giornata europea contro i trattati economici in corso. TTIP, CETA, TISA, TTP. Acronimi che sembrano lettere accostate una alle altre prive di significato, a qualcuno ricorderanno il famigerato WTO del 1995, quel trattato sulla libertà degli scambi commerciali che con la deregolamentazione dei mercati finanziari creò la bomba sociale sulla quale siamo seduti. Fu un accordo che portò in tutto il mondo milioni di persone in piazza per denunciare quella che poi si dimostrò essere una grande rapina ai danni dei lavoratori e dei ceti subalterni. Ma chi si ricorda più i tanto vituperati e derisi No Global?

textFigli di Troika Oct 12 11:46 by Toni Iero 0 comments

Riusciranno gli italiani a svegliarsi dal loro torpore per cacciare questi improvvisati piloti prima che facciano schiantare l’aereo di cui siamo malauguratamente passeggeri?

Outrora aliado histórico do PT, o PSB deixou de ser linha auxiliar da coalizão de governo para transforma-se em um pivô do eleitorado de centro-esquerda, largando a direita proto-keynesiana para se jogar na aventura da restauração neoliberal. imageCorrida eleitoral de 2º turno: o avanço do voto conservador e a difícil capacidade de reaç... Oct 10 08:20 by BrunoL 0 comments

09 de Outubro de 2014 – Bruno Lima Rocha

O país líder da América Latina, do MERCOSUL e dos arranjos diplomáticos latino-americanos se vê numa encruzilhada. Há um consenso do meio para baixo da pirâmide social brasileira. Nosso eleitor mediano, de fato não admite um retrocesso em termos de políticas públicas, não tolerando um discurso que implique na redução do papel do Estado na economia e na garantia dos avanços nas condições materiais de vida. Marina não conseguiu explicar como propunha “nova política” e contava com participação de economistas neoliberais em sua equipe formuladora de programa de governo. Aécio teve – e terá – de se explicar (e fazer crer) que em nenhuma hipótese irá desmontar o aparato de políticas sociais do lulismo.

textNo, no son capaces Oct 07 20:55 by Cristina de la Torre 0 comments

La pataleta que protagonizaron por un ajuste franciscano en impuestos desnuda el alcance de su “Soy Capaz”: autobombo con una campaña publicitaria que convoca reconciliación, pero nada que comprometa su más grosero interés inmediato. Su aporte a la construcción de la paz se contrae a la promesa de enganchar en su firma a algún desmovilizado. Por presumir de dar el empleo que nunca crearon en respuesta a los favores tributarios recibidos una y otra vez. Ni bien se anunciaron medidas para llenar el hueco de $12,5 billones abierto por los regalos concedidos a los ricos en la reforma tributaria de 2012, protestó Luis Carlos Sarmiento, potentado de US$16.000 millones que ocupa el puesto 56 entre los más acaudalados del orbe. Se le oyó reclamar airado el día mismo en que se hacía, de un pastorejo, con $2,5 billones en la bolsa de Nueva York. Como si no le bastara con el poder de su hombre tras el trono, el superministro Néstor Humberto Martínez. También le pareció inconveniente la reforma a María Mercedes Cuéllar, cabeza de una banca glotona que colma sus arcas exprimiendo a los colombianos y expropiando a usuarios de las voraces UPAC. Poco dijo José Félix Lafaurie, portavoz de los señores de la tierra, porque ellos no pagan impuestos. En su lugar, menea la idea de donar, por caridad, una vaquita al campesino sumido en la miseria por sus compadres de la guerra.

A Banca reclamou dos depósitos compulsórios e apostou as fichas em outras candidaturas. Agora, força a indicação do possível ministro da Fazenda do segundo governo Dilma. imageO médico e a doença - rentismo e chantagem política Oct 02 08:00 by Bruno Lima Rocha 0 comments

1º de outubro de 2014 - Bruno Lima Rocha

Falta pouco e a escalada especulativa convoca para a necessidade de expormos pílulas da última semana antes do 1o turno nacional. Comecemos pela lógica de gerar fato político através da espiral da informação alarmista, retroalimentada pelas relações entre especialistas e negociantes. Vamos lá. O analista eleitoral Antônio Lavareda expressou na manhã de 3ª, 30 de setembro, na mais forte emissora de rádio da Província de São Pedro, a expectativa do "mercado financeiro" a respeito da primeira rodada eleitoral. Compara-se o momento com 2002, quando o ex-gerente de operações de George Soros, Armínio Fraga - hoje homem de confiança e operador do JP Morgan - era presidente do Banco Central. Na época, o dólar bateu R$ 4,00 e o "mercado" forçou uma situação de fato que terminou com a fatídica reunião dos executivos do mundo financeiro com o futuro ministro da Fazenda Antônio Palocci.

a.jpg imageCrisis and Revolt Sep 28 13:51 by Wayne Price 0 comments

Liberals and progressive forces support the Democratic Party in elections, even though humanity is facing a number of interconnected threats and nightmarish catastrophes: economic, ecological/climate, and others. Democratic liberals, while perhaps the "lesser evil" to the Republican reactionaries, have no solutions to the objective dangers which threaten society with great suffering and destruction. The only real alternative is popular mass struggle or defeat--socialist-anarchism or catastrophes.

marina_1.jpg imageLos flancos abiertos de Marina Silva son blancos móviles para las baterías del lulismo ori... Sep 25 17:25 by BrunoL 0 comments

Bruno Lima Rocha*

En la recta final de la primera vuelta de las elecciones presidenciales brasileñas, faltando menos de veinte días para el pleito, parece que finalmente hubo un ajuste en la estrategia de campaña del partido de gobierno (PT) y en la defensa del mandato de la presidente Dilma Rousseff. Como habíamos dicho anteriormente, el peor de los mundos para la situación sería una versión del lulismo más potable para los operadores mediáticos y con libre tráfico para los agentes con poder de veto. Tal producto del marketing político es la ex-ministra del Medioambiente Marina Silva. Y su mayor virtud publicitaria termina por volverse el blanco visible y concreto de los ex-correligionarios petistas.

more >>
© 2005-2015 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]