user preferences

New Events

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

no event posted in the last week
brazil/guyana/suriname/fguiana / movimento anarquista Tuesday April 14, 2020 00:48 by Coordenação Anarquista Brasileira
featured image

Diante do cenário atual, não podemos nos furtar a debater como as mulheres que compõem os setores da sociedade mais vulneráveis têm sentido de maneira muito mais violenta as restrições impostas por este contexto de pandemia. As desigualdades sociais, as opressões fundantes do Estado brasileiro e as violações constantemente deflagradas contra o povo têm historicamente repercutido de maneira peculiar sobre as mulheres. É neste sentido que nós mulheres da Coordenação Anarquista Brasileira publicamos este texto reflexão que se propõe a apresentar nossa concepção de feminismo. A nossa luta é por uma sociedade liberta de todo tipo opressão e exploração. Por isso, não aceitamos de forma alguma fechar os olhos ou abrandar, mesmo no contexto de pandemia, nossas análises, apontando para a luta contra o racismo, contra o machismo e o patriarcado, contra o Estado e seu projeto genocida e contra o Capital em sua lógica de morte ao povo e proteção aos patrões.


[Français] [Castellano]

brazil/guyana/suriname/fguiana / imperialismo / guerra Tuesday October 16, 2018 05:41 by Coordenação Anarquista Brasileira   text 1 comment (last - wednesday october 31, 2018 21:30)
featured image
Nota da Coordenação Anarquista Brasileira

O atual cenário político brasileiro exige muita lucidez e frieza para o conjunto dos lutadores e das lutadoras populares e sua análise da realidade. Nós da Coordenação Anarquista Brasileira, modestamente, buscamos dar nossa contribuição a compreensão do convulsionado cenário político-social, cujo principal corte se encontra no golpe jurídico-parlamentar que derrubou Dilma Rousseff do governo. Vivemos recentemente o chamado esgotamento do pacto da Nova República de 1988. Tal pacto, mantinha a exclusão social dos/as de baixo, enquanto garantia direitos jurídicos mínimos, numa coalizão que envolveu políticos burgueses, o empresariado, os militares e parte dos setores reformistas da esquerda.

A construção do Estado brasileiro, no entanto, sempre esteve mais próxima dos interesses das potências imperialistas de turno do que da maioria da população. O estado penal para os pobres sempre foi a norma das instituições da democracia burguesa. Os governos do PT, desde Lula, incrementaram a máquina criminal da ordem pública com todo um aparato legislativo-judicial que reproduziram o super-encarceramento dos pobres e negros e a parafernália repressiva que ataca as lutas sociais. O pacto de conciliação de classes foi rompido e o colaboracionismo rasgado para dar lugar à agenda agressiva do capitalismo financeiro sobre os direitos sociais, as liberdades parciais e os bens públicos, que foram conquistas históricas do movimento popular.

[Castellano] [English] [Italiano] [Ελληνικά] [Français]
Veja também: | Ver también: | See also:

Contra os projetos anti-povo: Desde já e além das urnas
Brasil: Avanza el Fascismo – FAU
Brazil: Fascism advances – FAU


brazil/guyana/suriname/fguiana / repressão / prisioneiros Monday March 19, 2018 22:21 by CAB
featured image

Na noite da última quarta-feira, 14 de março, após sair de um debate com outras mulheres negras, na Lapa, Marielle Franco foi brutalmente executada. O motorista do carro em que Marielle se encontrava, Anderson Pedro Gomes, também foi assassinado.

Executaram uma militante, mulher, negra, lésbica, nascida na Favela da Maré, defensora dos Direitos Humanos, vereadora pelo PSOL, e que havia recentemente se tornado relatora da comissão responsável por fiscalizar a Intervenção Militar no Rio de Janeiro.
Os assassinatos de Marielle e de Anderson representam uma ação orquestrada por um Estado Terrorista e Genocida, que não usa máscaras para dizimar o povo negro e para enviar um recado a todos e todas que se colocam contra o massacre desenfreado promovido nas periferias.

[English] [Français] [Ελληνικά] [Italiano] [Castellano]

Veja também:

O assassinato de Marielle Franco e o genocídio estruturante no Rio de Janeiro

brazil/guyana/suriname/fguiana / repressão / prisioneiros Monday February 26, 2018 22:46 by FARJ
featured image

Estamos presenciando a inauguração de mais um capítulo do governo de “choque” aplicado ao estado do Rio de Janeiro. Um capítulo que é a plena continuação da nefasta política de segurança pública implementada no estado, alinhada ao avanço do golpe contra os trabalhadores, que destituiu anteriormente um governo que não servia mais aos plenos interesses da classe dominante nessa nova fase do sistema capitalista.

No carnaval desse ano e seguindo a tradição de resistência da cultura afro-brasileira, a Paraíso do Tuiti lavou a alma de todos os/as trabalhadores/as brasileiros, mostrando que a reforma da previdência e trabalhista são ataques contra seus direitos sociais e escancarou o passado escravocrata da elite brasileira. Agora, essa mesma elite, faz um novo acordo e aprova um plano de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, que agora vai ficar sob controle do general do exército Walter Braga Neto.

Nota da CAB sobre a Intervenção Federal [Castellano]

brazil/guyana/suriname/fguiana / repression / prisoners Sunday November 05, 2017 21:41 by Anarkismo Organizations   text 3 comments (last - sunday december 17, 2017 05:38)
featured image
Against normalization and repression: Struggle and organize !

We learnt that on October 25th, a large police operation called « Erebus » (Érebo in Portuguese, i.e. the name of the Greek god of darkness) was launched against the anti-authoritarian movement.

The civil police invaded at least 4 libertarian premises and claims to have warrants against a dozen of premises and about 30 people. They raided the occupation Pandorga and the Parrhesia premises as well as the political and cultural space Ateneu Libertário Batalha da Várzea that used to be FAG’s official premises. The Federação Anarquista Gaúcha (FAG) is specifically targeted by this operation as it is considered by the stupid-as-usual police to be the top organization of the anarchist movement in Porto Alegre. They are accused of forming a gang in order to commit crimes against public and private possessions.

[Français] [Italiano]

Read also (in Portuguese): - OPINIÃO DA CAB

newsfilter

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

Fri 14 Aug, 09:24

browse text browse image

cab100_mil1024x564.png image100 mil mortos e a normalização do genocídio Aug 09 18:06 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments

Neste fim de semana foi atingida a marca oficial de 100 mil mortos pela covid-19, em menos de seis meses desde o primeiro caso notificado. Morre-se mais de covid do que de qualquer outra doença, do que de acidente de trânsito, do que de violência urbana. A doença chegou a lares de todo o país e levou entes queridos de milhões de pessoas. Longe de ser uma doença “democrática”, a covid-19 escancara o projeto genocida dos de cima e a desigualdade brasileira que atinge os de baixo. Ser negro ou indígena, por exemplo, é um grande fator de risco que pode fazer a diferença entre morrer ou viver. Além disso, o abismo social joga os mais pobres para lugares sem saneamento básico, moradias precárias e trabalhos informais e precarizados, que não permitem tomar as medidas necessárias para evitar a disseminação da doença.

mascates_arabismo_primeiro_texto_jul2020.jpg imageOnde está a esquerda árabe-brasileira? Iniciando o debate. Aug 01 23:30 by BrunoL 0 comments

“Porque temos uma gigantesca colônia árabe-brasileira, incluindo o conjunto de árabes descendentes e não se organiza uma fração desta base social como apoiadora incondicional da libertação da Palestina?”

19_de_junho_de_2020_4a_parte_parapoliciais_charge_rafael_costa.jpg imageNo Bananistão dos Parapoliciais (4ª parte): o perigo da complexidade no modelo de controle... Jul 20 02:18 by BrunoL 0 comments

Introdução do quarto e último artigo da série
Até este episódio viemos apelando para a narrativa de fábula macabra, pois seria um risco jurídico muito grande escrever que a Terra é plana e dar nomes aos bois, incluindo sobrenomes e apelidos. Neste texto, a fábula só retorna na conclusão, e vamos nos valer do que circula de informação, conceitos e análises históricas recentes a respeito da complementaridade da economia política do crime, as estruturas de organizações criminosas como forma contemporânea de “acumulação selvagem” e os riscos reais consequentes da maximização dessas estruturas.

12_de_junho_bananisto_dos_parapoliciais_3a_parte.jpg imageNo Bananistão dos Parapoliciais_3ª parte Jul 13 02:15 by BrunoL 0 comments

Na 1ª parte desta série de ficção não ficcional, abordamos um panorama geral das mazelas da segurança pública sob o regime de democracia liberal capitalista no estado do Arroio de Fevereiro. Na 2ª parte analisamos a periodização histórica dos modelos de exploração e controle da economia política do crime nos territórios segundo o tipo de organização criminosa operando na Região Metropolitana da antiga capital da República do Bananistão. Nesta 3ª parte analisamos o modelo de novos negócios, complementando ou competindo contra o formato anterior, quando clãs familiares se involucram diretamente no negócio de proteção de segurança e extorsão, projeção eleitoral com base em bairros da Zona Oeste da cidade e grilagem de terras públicas, devolutas e de proteção ambiental.

cabgtetnicoracialnota2020_21024x768.png imageLutar contra o racismo e por vida digna Jul 07 22:59 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments

Maria Eduarda, Amarildo, Claudia, Miguel, João Pedro…. a lista de pretos e pretas que tiveram suas vidas levadas pela ação do Estado Policial de Ajuste é mais longa do que poderíamos colocar neste texto. Somos constantemente perseguidos e assassinados nas cidades de todo o país. Os povos originários vivem o mesmo drama, sendo caçados pelos jagunços do capitalismo, desmatadores, destruidores do meio ambiente e barões do agronegócio.

bananisto_dos_parapoliciais_2acharge_rafael_costa.jpg imageNo Bananistão dos Parapoliciais_2ª parte – a macabra fábula do esquema político-criminal-p... Jul 06 09:44 by BrunoL 0 comments

Na primeira parte desta trama macabra e “ficcional”, fizemos um panorama dos momentos anteriores à consolidação das forças parapoliciais. O século XXI torna complexo o modelo de Estado paralelo ou Estado complementar onde o conceito muda. Podemos marcar três fases no núcleo mais dinâmico da economia política do crime. As fases seriam: o jogo do bicho como operador absoluto; as redes de quadrilhas cujo negócio principal é o narcotráfico, também chamadas de “facções” e que os conglomerados de mídia insistem em chamar de “crime organizado”; por fim, o século XXI apresenta a “novidade” dos parapoliciais, a “evolução” da polícia mineira que existia na Baixada Fluminense e em algumas poucas localidades na zona oeste do Arroio, e se amplia ao ponto de dominar mais de uma centena de comunidades. Vejamos o marco temporal.

bananisto_dos_parapoliciais_29junho2020_charge_rafael_costa.jpg imageNo Bananistão dos Parapoliciais 1ª parte – a macabra fábula do esquema político-criminal-p... Jul 06 09:38 by BrunoL 0 comments

Esta é uma trama macabra. Fábula de horror tropical, tão “real” como os livros de Luiz Eduardo Soares – a Elite da Tropa 1 e 2 – ou os filmes que o hoje, diretor de comédia, José Padilha, (Tropa de Elite 1 e 2) também rodou. José Padilha fez uma telecomédia fantasiosa e patética, a série O Mecanismo 1 e 2, “livremente inspirado” na Republiqueta de Curitiba e na Liga da Não-Justiça. As palavras que seguem estão mais próximas de serem “livremente inspiradas” na triste realidade do estado do Arroio de Fevereiro e da República Deformativa do Bananistão, do que nas obras acima citadas.

vai_ter_golpe_duvida_chrage_rafael_costa.jpg imageVai ter golpe? Análise de teor especulativo em cima do tabuleiro que pode se avizinhar no ... Jun 21 21:57 by BrunoL 0 comments

Divido esse artigo em três partes para um debate urgente, que deixou de estar no universo da imaginação para entrar na conjectura especulativa. Nas últimas semanas a pergunta “vai ter golpe?” tornou-se recorrente em diversos debates. E reconhecemos que existe algo de muito podre na República do Bananistão. O texto que segue se dedica a especular sobre possíveis manobras da extrema-direita no país. Não me dedico a tentar “dar linha” pela internet, considero essa posição pretensiosa e desnecessária, já que tomo como únicas linhas possíveis as tomadas em decisões coletivas dentro de partidos, coletivos, movimentos e demais agrupações mais à esquerda. Como disse o mestre Lupicínio Rodrigues, aos quem têm “nervos de aço”, vamos ao debate.

hegemonismo_unidade_manipulao_chargerafaelcosta_jun20.jpg imageHEGEMONISMO DISFARÇADO DE "UNIDADE" E A UNIDADE QUE SE FORJA COM LUTA E ORGANIZAÇÃO Jun 15 08:15 by BrunoLR 0 comments

Por Bruno Lima Rocha – 14 de junho de 2020
Ao longo das últimas duas semanas venho promovendo na coluna que produzo para algumas emissoras livres e comunitárias um debate direto e tranquilo. Trata-se de aderir ou não (fisicamente) aos atos antifascistas e antirracistas. Também abordo o tema da unidade possível e do leque de alianças desejável. Não me refiro em momento algum a quem está preocupado com a pandemia e como todas e todos nós, entendemos que a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o isolamento social está correta. Se a preocupação maior for a de evitar a propagação do contágio por aglomeração e contato físico, não há sombra de dúvida que é uma posição sólida e honesta intelectualmente. Tampouco na crítica, jamais me refiro a individualidades e sempre a lideranças consolidadas, com cargos eletivos ou postos de direção em partidos e movimentos. Também fica a crítica para as celebridades e subcelebridades, acadêmicas, artísticas ou esportivas que, sem compromisso político, aproveitam momentos de organização social para se promover.

textChoosing between life and Capital in Latin America: Interview with Jeffery R. Webber May 20 23:31 by Róbert Nárai 0 comments

Jeffery R. Webber teaches in the Department of Politics at York University, Toronto. His latest book is The Last Day of Oppression, and the First Day of the Same: The Politics and Economics of the New Latin American Left. He is presently at work on Latin American Crucible: Politics and Power in the New Era, under contract with Verso. He was interviewed for Marxist Left Review by Róbert Nárai.

bolsonaro_condominio_2020.jpg imageO desgoverno do condomínio: o Palácio do Planalto virou o Jambalaya do Coiso May 18 01:13 by BrunoL 0 comments

Tenho de admitir, Bolsonaro é muito bom no que se propõe a fazer: desgoverno, tumulto no país e desinformação na sociedade. Ele é o que é, e sua existência plena é isso mesmo. Nem mais, nem menos, “taóquei!”. Ele e sua prole não se pretendem governantes, o ato de governo é como se fosse um condomínio e, infelizmente, o síndico é o próprio Jair Messias, e não Tim Maia. Nesse condomínio, a maior parte dos subsíndicos se comporta mais como xerifes de galeria do que como habitantes de um mesmo espaço. Ao contrário do que seria esperado, o síndico de discurso autoritário não é centralizador nem tem pulso forte ou mão de ferro. Ninguém pode aparecer mais do que ele e, menos ainda, assumir atos de responsabilidade. Esse síndico não faz nada e não deixa ninguém fazer muito. Não se mete com o tesoureiro, embora lembre a todo o momento que até esse pode ser demitido.

bolsonaro_guedes_dedo.jpg imagePaulo Guedes e a crueldade institucional da farsa fiscalista May 04 00:49 by BrunoL 0 comments

Como os artigos de análise que produzo semanalmente tem razoável circulação, peço perdão pelos eufemismos, porque se fosse digitar o que realmente penso a respeito desse tema, o volume de palavrões e xingamentos seria de calão tão baixo quanto o das autoridades que comandam a liquidação econômica do país.

tomarfortunas.jpg image1º de Maio Combativo – Tomar as Fortunas por Vida Digna May 02 19:17 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments

Em uma data forjada no calor da luta da classe trabalhadora, símbolo da vitória que foi a consolidação da jornada de 8 horas de trabalho diário, hoje somos obrigados a assistir às centrais sindicais brasileiras (aquelas mesmas que se consideram no direito de representar a classe e negociam às custas dos direitos das e dos trabalhadores) transformarem o luto e a luta em palanque político eleitoral. Seria patética, se não fosse trágica, a traição que CUT, CTB e demais centrais cometem ao chamar para discursar figuras como Rodrigo Maia, João Dória, David Alcolumbre, Fernando Henrique Cardoso e Dias Toffoli. Inimigos declarados das e dos de baixo, esses senhores foram e são responsáveis pelos mais diversos ataques feitos ao nosso povo, ataques esses que só nos trouxeram mais miséria e opressão. Tal desatino também serve para mostrar a incapacidade desses setores da esquerda que acreditam ainda na disputa pelo aparelho de Estado, disputa essa que os leva a cálculos sujos e os obriga a tentar alianças com o que há de mais podre na política profissional.

moro_bolsonaro_rindo.jpg imageMoro, Bolsonaro e as duas pontas da tragédia tropical Apr 27 02:13 by BrunoL 0 comments

Sexta-feira, 24 de abril de 2020, o espetáculo dantesco, a versão do século XXI de crônicas políticas nunca escritas pelo genial. Nelson Rodrigues se desenrola diante das câmeras e aparelhos eletrônicos de todo o país. Os dois ícones que se abatem sobre o Brasil desde o início da falência múltipla da Nova República se separam. Por um lado, Sergio Fernando Moro, típico concurseiro carreirista, que se serve do aparelho de Estado para a promoção pessoal, se afasta. Posando de bom moço, confessou apenas uma suposição de crime: pediu pensão para caso sua esposa ficasse viúva com ele à frente do Ministério da Justiça da extrema-direita. Do outro lado da Esplanada, esquentando os motores com um discurso de três infindáveis páginas (das quais ele só se dignou a ler depois de mandar em cana a sogra e a família da esposa, se orgulhar do “filho garanhão do condomínio” e misógino asqueroso, dentre tantas pérolas), Jair Messias Bolsonaro fala de improviso na linguagem da sofrência do sertanojo que despreza o caipira.

mandettasaiteichentra.jpg imageDuas variáveis da crise e o Macunaíma da Era Bolsonaro Apr 20 07:53 by BrunoL 0 comments

Apontamos a possibilidade concreta do caminho do rumo a alguma forma de paralisia decisória, a chaga das instituições liberais burguesas. Tal fato se dá pelo conflito de poderes constituídos entre o presidente Jair Bolsonaro (seu Gabinete do Ódio, ministros incondicionais e seu gado alucinado), a incompleta Junta Ministerial (supostamente comandada pelo general Braga Netto) e a defesa do modelo econômico austericida e sociopata.

mulhere769resiste770ncia11_3.png imageNuestra concepción del feminismo desde la perspectiva del anarquismo organizado Apr 15 05:42 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments


Las mujeres que formamos parte de las organizaciones de la Coordinadora Anarquista Brasileña nos entendemos como parte de una larga tradición de mujeres anarquistas que han denunciado y luchado radicalmente contra las opresiones de género; por lo tanto, también la explotación del trabajo adquiere una especificidad para nosotras. Formamos parte de la tradición de las muchas, muchas mujeres anarquistas que, aunque borradas por la historia de los de arriba, han chocado de frente con la violencia que sufrimos por ser mujeres; mujeres que han guiado nuevas formas de amar y han problematizado el modelo de familia burguesa que es la base del sistema; mujeres que reaccionaron a la violencia machista, a menudo procedentes de sus propios camaradas; mujeres autodidactas, que promovieron la alfabetización y pensaron en una educación liberadora, que actuaron en la prensa creando y escribiendo en periódicos libertarios; ¡mujeres que se levantaron en armas! Estas mujeres intrépidas e insumisas lucharon contra un sistema opresivo por una vida digna y libre y sembraron semillas de liberación en todo el mundo. Hay muchas luchadoras anónimas borradas en la historia de los hombres. Hay muchas que se han ido antes que nosotras, muchas que no lo están. Llevamos en nosotras su legado.

mulhere769resiste770ncia11_2.png imageNotre conception du féminisme dans la perspective de l'anarchisme organisé Apr 15 04:58 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments

Production du GT (groupement de tendance) de genre de la CAB.

Face au scénario actuel (et, il convient de le dire, un scénario qui apporte des conditions de vie et d'existence jusqu'alors inimaginables pour la plupart d'entre nous), nous ne pouvons pas ne pas débattre de la manière dont les femmes qui constituent les secteurs les plus vulnérables de la société ont ressenti beaucoup plus violemment les restrictions imposées par ce contexte de pandémie. Les inégalités sociales, les oppressions qui ont fondé l'État brésilien et les violations constamment déclenchées contre le peuple ont historiquement eu un impact particulier sur les femmes. Après tout, ce sont elles qui constituent de manière significative la base de la pyramide d'exploitation de la force de travail ; ce sont elles qui détiennent les salaires les plus bas ; ce sont elles qui représentent dans leur grande majorité le corps des travailleuses domestiques ; ce sont elles qui occupe la place de chefs de famille où le géniteur non seulement ne se rend pas présent mais abandonne aussi financièrement et émotionnellement sa femme et ses fils et filles ; Ce sont elles qui sont en majorité en première ligne lors des premiers contacts qui se produisent en arrivant dans les services de santé ; ce sont aussi celles qui risquent le plus de mourir dans l'isolement de leur foyer, car elles partagent dans la résidence l'espace avec un partenaire agresseur, conséquence cruelle des structures machistes dans lesquelles nous sommes créés.

Outre ces réalités, nous avons encore la misère, le chômage, le désespoir et tant de conditions de vie défavorables aux recommandations pour se protéger de la contamination par COVID-19. Il existe de nombreuses poches de pauvreté au Brésil. Le manque d'eau est une réalité dans de nombreux foyers. L'isolement (si recommandé par les autorités sanitaires) est quelque chose d'impossible pour beaucoup de ces travailleuses, en particulier celles qui travaillent comme domestiques. Ce n'est pas pour rien que nous avons récemment appris le décès d'une femme de ménage, qui avait continuée à travailler chez ses employeurs qui étaient en quarantaine. Il convient de mentionner : pouvez-vous deviner la couleur et la classe de cette bonne qui a été victime des privilèges de ces employeurs ? La crise de la pandémie a de la couleur, du genre et de la classe ! Nous devons exiger que nos droits soient respectés et nous devons continuer à nous battre pour une vie digne !

C'est dans ce sens que nous, femmes de la Coordination Anarchiste Brésilienne, publions ce texte de réflexion qui se propose de présenter notre conception du féminisme. Notre combat est pour une société libre de toute forme d'oppression et d'exploitation. Nous n'acceptons donc en aucune façon de fermer les yeux ou de ralentir, même dans le contexte d'une pandémie, nos analyses, qui pointent vers la lutte contre le racisme, contre le machisme et le patriarcat, contre l'État et son projet génocidaire et contre le Capital dans sa logique de mort au peuple et de protection des patrons. Que nos débats ne s'arrêtent pas, tout comme notre lutte et notre résistance se poursuivent jour après jour ! Pour le pouvoir populaire ! Les femmes sont des résistantes dans la lutte pour une vie digne !

politica_externa_pos_pandemia.jpg imageDebatendo uma política externa anti-imperialista através do Sul Global Apr 14 23:59 by BrunoL 0 comments

Introdução: nas palavras que seguem, de maneira pontual e com modesta pretensão, apresenta-se um debate que julgo urgente. A reorganização da política externa brasileira e o tipo de inserção no Sistema Internacional que nosso país deveria ter. Trata-se de um aporte concreto, com metas viáveis, ainda que ousadas. Esperamos com isso não apenas abrir um debate e travar polêmicas com o entreguismo lacaio, mas também marcar uma posição consequente, anti-imperialista e pelo Sul Global que tanto defendemos e onde o Brasil tem um protagonismo a conquistar e cumprir.

mulhere769resiste770ncia11.png imageNossa Concepção De Feminismo Na Perspectiva Do Anarquismo Organizado Apr 14 00:48 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments

Diante do cenário atual (e, vale dizer, um cenário que traz condições de vida e existência até então inimagináveis para boa parte de nós), não podemos nos furtar a debater como as mulheres que compõem os setores da sociedade mais vulneráveis têm sentido de maneira muito mais violenta as restrições impostas por este contexto de pandemia. As desigualdades sociais, as opressões fundantes do Estado brasileiro e as violações constantemente deflagradas contra o povo têm historicamente repercutido de maneira peculiar sobre as mulheres. Afinal, são elas que compõem de maneira significativa a base da pirâmide da exploração da força de trabalho; são elas que detêm os menores salários; são elas que representam na grande maioria o corpo de trabalhadoras domésticas; são elas que estão no lugar de chefes de família onde o genitor não só não se faz presente como também abandona financeiramente e emocionalmente a mulher e seus filhos e filhas; são elas que estão em maioria na linha de frente nos primeiros contatos ocorridos ao se chegar nos serviços de saúde; são também elas as que mais correm o risco de morrer em isolamento domiciliar, pois compartilham na residência o espaço com um parceiro agressor, consequência cruel das estruturas machistas nas quais somos criadas/os.

Além dessas realidades, ainda temos a miséria, o desemprego, a desesperança e tantas condições de vidas adversas às recomendações para se proteger da contaminação com o COVID-19. Os bolsões de pobreza do Brasil são muitos. A falta de água é realidade de muitas casas. O isolamento (tão recomendado pelas autoridades sanitárias) é algo impossível para muitas destas trabalhadoras, particularmente, as que exercem a função de empregada doméstica. Não à toa, vimos recentemente a notícia de uma empregada doméstica que faleceu após continuar indo trabalhar na casa dos seus patrões que estavam de quarentena. Há que se destacar: dá pra adivinhar a cor e a classe desta empregada vítima dos privilégios destes patrões? A crise da pandemia tem cor, genêro e classe! Nós devemos exigir que os nossos direitos sejam respeitados e devemos continuar na luta por uma vida digna!

É neste sentido que nós mulheres da Coordenação Anarquista Brasileira publicamos este texto reflexão que se propõe a apresentar nossa concepção de feminismo. A nossa luta é por uma sociedade liberta de todo tipo opressão e exploração. Por isso, não aceitamos de forma alguma fechar os olhos ou abrandar, mesmo no contexto de pandemia, nossas análises, apontando para a luta contra o racismo, contra o machismo e o patriarcado, contra o Estado e seu projeto genocida e contra o Capital em sua lógica de morte ao povo e proteção aos patrões. Que nossos debates não parem, assim como nossa luta e resistência seguem dia a dia! Pelo poder popular! Mulheres são resistência na luta por vida digna!



mulhere769resiste770ncia11_1.png imageNotre conception du féminisme dans la perspective de l'anarchisme organisé Apr 11 23:37 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments

Production du GT (groupement de tendance) de genre de la CAB. La traduction ici est incomplète, elle ne présente que l'avant propos. La traduction complète est en cours de finalisation.

bolsonaromentiroso.jpg imageEntre a razão e o delírio no país em transe Apr 05 01:50 by BrunoL 0 comments

O debate a respeito do isolamento social e os planos macabros da aliança entre um pensamento obtuso e a ação de desmonte na política econômica, estão levando uma parcela do país às raias do delírio.

92542540_1448195882033714_2613039089066180608_o.jpg imageMarilia: Οι κυβερνήσεις &... Apr 04 09:11 by OASL 0 comments

Όλα αυτά δείχνουν το σκληρό πρόσωπο της σημερινής κρίσης του συστήματος υγείας και της οικονομικής κρίσης και της κοινωνικής κατάρρευσης που πλησιάζουν. Σύμφωνα με όλα τα παραπάνω, τόσο οι κυβερνήτες όσο και οι εργοδότες, είναι φανερό ότι δεν ενδιαφέρονται για την υγεία και τη ζωή του λαού μας. Εκθέτουν τους εργαζόμενους σε κίνδυνο λοιμώξεων και τους αφήνουν χωρίς τα βασικά μέσα βιοπορισμού τους.

golpe_de_64.jpg imageContra a Memória Maldita de 1964: Fora Militares! Da Política e Das Ruas! Mar 31 16:10 by CAB 0 comments

No dia primeiro de abril, dia da mentira (31 de março para os golpistas), há exatos 56 anos, forças militares ligadas ao empresariado brasileiro, ao imperialismo e aos setores mais reacionários da classe dominante operaram um golpe militar que jogaria o país numa longa noite de escuridão.

textA Luta Estudantil Anarquista Frente À Pandemia Mar 30 04:24 by Coordenação Anarquista Brasileira 0 comments

A cada dia, os números da pandemia se multiplicam por todo o mundo, onde a grande maioria dos países já tem casos confirmados. Segundo a Unesco, cerca de 80% de todas as estudantes do mundo estão com as aulas suspensas nos níveis básico e superior, totalizando mais de 1,3 bilhões de pessoas (https://bit.ly/unesco2403).

Aqui no brasil, Bolsonaro discursa contra medidas individuais fundamentais como buscar o isolamento social e as rotinas de higiene porque não tem nenhuma preocupação com nossas vidas, apenas com o lucro dos bancos e dos patrões. Além de defender essas recomendações de saúde, a coordenação anarquista brasileira (CAB) já ressaltou a necessidade de derrubar o teto de gastos (emenda constitucional 95) e o não-pagamento da dívida pública para investir diretamente no sus; a incorporação da rede hospitalar privada pelo sus; e a garantia de um salário mínimo universal e a suspensão das contas e alugueis para permitir o isolamento das trabalhadoras precarizadas (https://anarquismo.noblogs.org/?p=1261).

paulo_guedes_e_bolsonaro_maro2020.jpg imageA Pandemia no Brasil sob o desgoverno Bolsonaro Mar 24 02:13 by BrunoL 0 comments

Fica difícil fazer análise em tempo real, com a velocidade da pandemia de coronavírus avançando e o desgoverno confundindo mais que ajudando. Nas palavras que seguem a tentativa é nos aproximar do real e das proposições. Vamos começar.

helenomanifestao_032020.jpg imageA baderna militar e o conflito ainda controlado dentro da direita Mar 04 01:37 by BrunoL 0 comments

Ao terminar o carnaval o ano começou de fato com uma 4ª de cinzas “inesquecível”. A extrema direita foi convocada para na data de 15 de março, marcando o novo momento de micareta proto-fascista no Brasil em transe pós-golpe coxinha. Parece piada, mas a situação é bem séria. O general de Exército Augusto Heleno Ribeiro Pereira (4 estrelas), ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), como figura de proa do reacionarismo militar de alta patente, está dobrando a aposta.

alvim_goebbles.jpg imageA real ameaça antissemita e a defesa do povo palestino Jan 23 23:57 by BrunoL 0 comments

Já nos países “ocidentalizados”, ter boas relações com governos mais à direita – como Bolsonaro e Trump – e ignorar os apoios de antissemitas declarados que tais governantes têm, forma um tipo de “pragmatismo político” que só ajuda a relativizar os efeitos danosos da laia.

jose_oiticica.jpg imageJosé Rodrigues Oiticica (1882-1957) Dec 30 11:22 by Dmitri (translation) 0 comments

Ο José Oiticica ήταν Βραζιλιάνος αναρχικός, ποιητής και ακτιβιστής. Ήταν ιδρυτής και συντάκτης του αναρχικού περιοδικού “Ação Direta” (“Άμεση Δράση”), από το 1946 μέχρι και τον θάνατό του. Έγραψε επίσης και δημοσίευσε αρκετά βιβλία ποίησης.

cala.jpg imageΛατινοαμερικάνι... Dec 16 21:04 by FAU/CAB/FAR 0 comments

Βρίσκουμε τον CALA το καλύτερο εργαλείο σε αυτό το στάδιο που ανοίγεται στη Λατινική Αμερική, με τους λαούς στους δρόμους να αντιστέκονται στο νεοφιλελεύθερο μοντέλο, έτσι ώστε να αρθρώσουμε την παρουσία μας σε αυτά τα γεγονότα και να δώσουμε μια σταθερή και σαφή θέση οργανωμένου αναρχισμού. Η σκηνή που ανοίγει πρέπει να μας βρει όσο το δυνατόν καλύτερα οργανωμένους και με προσβάσεις στην περιοχή. Αυτός είναι ο λόγος για τον οποίο καλούμε άλλες οργανώσεις να οικοδομήσουμε μαζί αυτό το μονοπάτι.
[Castellano] [English] [Italiano] [Türkçe]

decreto_glo.jpg imageDecreto de Garantia da Lei e da Ordem e o desgoverno dos factoides Dec 11 10:23 by BrunoL 0 comments

Há um tema delicado, uma forma de gerar o medo e criar factoides sem fim, vindos do Palácio do Planalto, durante o desgoverno de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes. O tema dos decretos de Garantia da Lei e da Ordem, além de ser uma herança maldita e esdrúxula da ditadura, é também uma imposição no texto constituinte, assim como a defesa interna atribuída aos quartéis - outra excrescência do governo da Arena de Sarney com o PMDB e sob tutela ainda da milicada – é uma tentação permanente de autoritarismo.

more >>
© 2005-2020 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]