user preferences

Upcoming Events

Economy

No upcoming events.
El preocupante en esta reaproximación es la apertura económica cubana, como la posibilidad de desamparo de una masa de trabajadores, que aunque viva de forma modesta, tiene la seguridad de los beneficios sociales y un grado de certeza en cuanto al futuro.
internacional / economía / opinión / análisis Tuesday August 04, 2015 09:05 by BrunoL   image 1 image
Por Bruno Lima Rocha

La reaproximación entre Estados Unidos y Cuba, con la reanudación de las relaciones diplomáticas entre los dos países, está concluyendo una etapa de la geopolítica de América Latina, que se remonta a la Guerra Fría. La victoria de la Revolución Cubana abrió en nuestro continente una ventana de posibilidades de cambio, resultando en un vendaval revolucionario de tres décadas. Aún tenemos fuerzas insurgentes latinoamericanas, como el ELN y la FARC colombianas, y el EZLN y EPR de México, pero tal accionar está muy distante del que hubo hasta la rendición y armisticio de las guerrillas centro-americanas en la mitad de la década de 1990. Observar las relaciones cubano-estadunidenses hoy, implica también en hacer la proyección de los tiempos que se avecinan. read full story / add a comment
O perfeito idiota latino-americano em sua versão brasileira mais explícita.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Tuesday July 28, 2015 10:13 by BrunoL   image 1 image
26 de julho de 2015, Bruno Lima Rocha

As frases são sempre as mesmas: "Populismo fiscal, suporte do Estado e fraude política a caminho"....assistimos a teleconferência apregoando o Manual do perfeito idiota daqueles que nos xingam de idiotas latino-americanos sendo aplicado.

Assistindo o programa Globonews Painel (deste sábado 25 de julho de 2015), cuja bancada era composta por dois economistas vinculados a consultorias privadas e um colega da ciência política igualmente vinculado a outra consultoria, me dei conta que há um tema de fundo nesta crise política. No primeiro mandato de Dilma, o ministro Guido Mantega de fato tentou uma inflexão desenvolvimentista, mas sem uma base social mobilizada e tampouco a predisposição do partido de governo para confrontar a sangria desatada de mais de 40% do orçamento da União para a especulação da agiotagem rentista. No segundo turno de 2014, houve uma eleição plebiscitária cuja chapa vitoriosa aceitou o brete do rentismo e chamara um ministro da Fazenda que apoiara Armínio Fraga para tomar conta do caixa da 8a economia do mundo. read full story / add a comment
Alexis Tsipras es sólo más uno en la larga cola de casi líderes a ceder delante al enemigo delante de la posibilidad real de victoria del pueblo.
grecia / turquía / chipre / economía / opinión / análisis Wednesday July 22, 2015 03:57 by BrunoL   image 1 image
Por Bruno Lima Rocha

Introducción y crítica a dos analistas brasileños

En la noche de 15 de julio de 2015, el primer Ministro griego Alexis Tsipras, pone a la votación un paquete de medidas negociadas (impuestas es la verdad) con la Troika europea. La contradicción en esta consulta parlamentaria, es el hecho de que tal paquete, es justamente el mismo – o casi el mismo, pues en algunos aspectos es aún peor – del que fuera rechazado por la población en un referéndum ocurrido el domingo 5 de julio. read full story / add a comment
Alexis Tsipras é só mais um na longa fila de quase líderes a ceder diante ao inimigo diante da possibilidade real de vitória do povo.
grécia / turquia / chipre / economia / opinião / análise Saturday July 18, 2015 09:40 by BrunoL   image 1 image
17 de julho de 2015, Bruno Lima Rocha.

"Caso a Grécia tivesse mantido de pé o resultado do referendo de 5 de julho, haveria a condição concreta de subordinar as vontades dos delinqüentes financeiros diante da força democrática, através de consulta direta. Agora, as chances de vitória da longa rebelião grega estão mais distantes", afirma Bruno Lima Rocha, professor de ciência política e de relações internacionais.

Eis o artigo. read full story / add a comment
O poder de veto da população organizada barrou a barbárie na 4ª feira 01 de julho de 2015, mas os custos desta mobilização podem ser menos extensos do que o poder de manipulação regimental de Eduardo Cunha e suas péssimas companhias.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Friday July 10, 2015 08:55 by BrunoL   image 1 image
09 de julho de 2015, Bruno Lima Rocha

"Neste momento da política brasileira, com a presidente se equilibrando com 9% de apoio declarado; com o partido de governo recebendo “bola nas costas” de Lula, o líder com poder de veto e que melou o congresso do PT; com a canha rentista forçando uma inflação baseada em preços controlados; e, com a desinformação estrutural estruturando falsas consciências viralizadas nas redes sociais brasileiras, a conclusão é óbvia. Os setores que tiverem direitos adquiridos e não se mobilizarem, recusando-se a organização de tipo reivindicativo e classista, simplesmente corre o risco de perdê-lo. O Tea Party brasileiro existe embora seja multifacetado e chegou às raiais da desfaçatez. Sua meta passa por cumprir a profecia auto anunciada por Fernando Henrique Cardoso. Ao avançar no desmonte da herança varguista, irão pelo ralo também as estruturas da regulação do mundo do trabalho e boa parte dos direitos conquistados na Constituição de 1988. Todo o cuidado é pouco", escreve Bruno Lima Rocha, professor de ciência política e de relações internacionais.

Eis o artigo.
read full story / add a comment
Ted Cruz é contra os imigrantes, contra os direitos reprodutivos, a presença do Estado na economia, a favor do comércio indiscriminado de armas de fogo e pela redução de impostos.
internacional / economia / opinião / análise Wednesday July 08, 2015 11:00 by BrunoL   image 1 image
07 de julho de 2015, Bruno Lima Rocha

Os Estados Unidos são um país multicultural, pluriétnico e com uma perigosa sobreposição da questão social (divisão da sociedade em classes) com a segmentação étnico-racial, segundo definição oficial do governo central da superpotência. Embora não tenha passado de tímidas políticas keynesianas, a administração de Barack Obama (democrata), eleito em 2008 e reeleito em 2012, marcou o início de uma possível era pós-racial nos Estados Unidos. Aparentemente, a Era pós-racial marcaria um momento na vida política e no ambiente doméstico da superpotência onde cada grupo étnico formaria sua elite relativa e formas de ascensão social. A reprodução das idéias mais à direita (dentro do espectro político dos EEUU) seria através dos milhões de gestores e proprietários de micro e pequenos negócios étnicos. O conceito tem falhas e incoerências, como afirmo abaixo. read full story / add a comment
oxi.jpg
grecia / turchia / cipro / economia / comunicato stampa Saturday July 04, 2015 09:32 by Alternativa Libertaria/FdCA   image 1 image
Per costruire un'Europa solidale delle classe lavoratrici, occorre una mobilitazione su scala continentale delle forze anticapitaliste, che utilizzi la contraddizione che si aprirebbe in seno all'UE, dopo una vittoria del NO al referendum greco. read full story / add a comment
Grècia va ser robada des de dins, amb el govern de Nova Democràcia (2004-2009) quan va contractar a Goldman Sachs Europa per una assessoria econòmica especial i va tenir els seus balanços retocats.
grècia / turquia / xipre / economia / opinion/analysis Saturday July 04, 2015 09:07 by BrunoL   image 1 image
Bruno lima Rocha, 3 juliol 2015

Sembla que el gabinet de Tsipras s’ha donat compte de que anava a perdre en Brussel·les i als carrers de Grècia. Desprès de flirtejar amb l’acceptació (re-negociada) d’un acord que el propi govern grec va dir el dissabte que era impossible d’acatar, Tsipras va enviar un comunicat oficial a la Comissió Econòmica Europea dient que acceptaria els termes “re”-negociats pel FMI. Si complís aquest acord, les condicions draconianes augmentarien l’index d’atur de Grècia, que supera el 25% de la població activa i arriba al 40% pels joves i adults amb menys de 30 anys. A l’inici de la tarda-nit europea, Tsipras afirma novament tot el contrari, garantint la realització del referendo del diumenge i convocant pel NO a l’acceptació de l’in-decorosa proposta del FMI que ell mateix va dir que era impossible de signar i que hores enrere avisava de la possibilitat de signar. De nou repeteixo l’obvi: read full story / add a comment
A força dos gregos está nas ruas e não nas urnas. Se o Syriza é o reflexo eleitoral de uma pré-disposição de luta dos gregos após a ditadura de 1974, este caldo de cultura vem num crescente desde a rebelião popular de libertária de outubro de 2008.
grécia / turquia / chipre / economia / opinião / análise Friday July 03, 2015 10:42 by BrunoL   image 1 image
02 de julho de 2015, Bruno Lima Rocha

"Neste momento e observando de longe, podemos ver um tabuleiro complexo onde aceitar a proposta absurda da Troika é vista como capitulação do gabinete de Tsipras e pode corroer a base de legitimidade da nova esquerda eleitoral europeia. Isto implica uma ampliação de espaço mais à direita e uma urgência organizativa da esquerda radicalizada grega, cuja capacidade de combate é muito elevada", escreve Bruno Lima Rocha, professor de ciência política e de relações internacionais. read full story / add a comment
Las comunidades latino-americanas dentro de la superpotencia, tienen importantes referenciales políticos en movimientos a la izquierda y son blancos, de persecución sistemático de las fuerzas represivas, que recrudecieron después del Acto Patriótico.
internacional / economía / opinión / análisis Monday June 29, 2015 20:20 by BrunoL   image 1 image
Por Bruno Lima Rocha

Los Estados Unidos son un país multicultural, pluri étnico y con un peligroso solapamiento de la interrogación social (división de la sociedad en clases), con una segmentación étnico-racial, según la definición oficial del gobierno central de la superpotencia. Aunque no haya pasado de tímidas políticas keynesianas, la administración de Barack Obama (demócrata), elegido en 2008 y reelegido en 2012, marcó el inicio de una posible era post-racial en Estados Unidos. read full story / add a comment
Para Luiz Inácio, ao que parece, é mais relevante preservar seu próprio capital político do que ver-se associado ao naufrágio do modelo por ele próprio inaugurado.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Saturday June 27, 2015 10:51 by BrunoL   image 1 image
"No Brasil o lobby formal é proibido, mas os setores empresariais com mais poder de pressão conseguem isentar-se das medidas mais duras. Observamos uma cadeia alimentar, onde o setor financeiro-especulativo comanda; seguido dos setores com poder empresarial para fechar grandes contratos de governo ou arcar com a infra-estrutura do país e após setores específicos - alguns voltados para exportação - com condições de influência sobre bancadas estaduais e federais. O aumento do custo da geração de emprego direto para o empregador faz parte da fórmula da ortodoxia neo-neo monetarista e o resultado societário é horrível", constata Bruno Lima Rocha, professor de ciência política e de relações internacionais. read full story / add a comment
italia / svizzera / economia / opinione / analisi Wednesday June 17, 2015 09:31 by Nesplara
Brevi considerazioni sulla necessità di integrare i disoccupati nel movimento dei lavoratori e sull'organizzazione di un movimento di massa per il salario minimo/reddito di cittadinanza read full story / add a comment
A solução dada pelo partido de governo para o governo de coalizão é guinar à direita e hipotecar a sua própria base restante.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Tuesday June 16, 2015 03:56 by BrunoL   image 1 image
15 de junho de 2015, Bruno Lima Rocha

Tendo como pano de fundo o 5º Congresso Nacional do PT, Bruno Lima Rocha, jornalista e cientista político, professor de Relaões Internacionais, afirma "o lulismo vai deixar uma sequela ideológica difícil de ser superada tanto nesta agrupação política como na sociedade brasileira".

Segundo ele, "superar o paradigma do pacto de classes e do minimalismo vai exigir profunda autocrítica e radicalidade através das bases sociais mobilizadas".
read full story / add a comment
La participación limitada en América Latina mostró sus límites y hoy ya vivimos la crisis de los gobiernos bolivarianos como plantilla de desarrollo autónomo, siendo que de más aguda de ellas es justamente de Venezuela post-Chávez.
argentina/uruguay/paraguay / economía / opinión / análisis Monday June 01, 2015 03:07 by BrunoL   image 1 image
Bruno Lima Rocha

En función de mi profesión, vengo teniendo la oportunidad de hacer una comparación de escenarios políticos en programas de medios abiertos dentro del estado donde vivo en Brasil, el Río Grande del Sur. Estamos en un momento donde los gobiernos de centro-izquierda o viven en crisis (caso de Brasil y Argentina), o adhieren parcialmente a las tesis del Imperio (caso de Chile y Perú) o están bajo una severa crisis institucional, tal es lo que ocurre en Venezuela. Vale observar que en estos países (Bolivia, Ecuador y el ya citado país de Bolívar) las instituciones no son sólidas y este es el laberinto. Cuando hay arreglo institucional fortalecido, el régimen se mantiene, pero las oportunidades de transformación son pequeñas. Ya, cuando no hay estructura fortificada y criba entre gobierno y Estado, hay la tendencia de que las élites dirigentes y sus socias mayoritarias transnacionales ejerzan un poder vertical y autoritario. Aun así, poca institucionalidad implica en mayor poder de la movilización popular.
read full story / add a comment
Na charge adaptada da original estadunidense, o grafista nos chama a atenção para o óbvio. Quem empresta dinheiro ao banco é o correntista e ele o “devolve” na forma de crédito. Os bancos operam como a casa (a banca) no cassino.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Sunday May 31, 2015 00:59 by BrunoL   image 1 image
30 de Maio de 2015, Bruno Lima Rocha

O nome deste breve texto poderia ser: como é simples expor as bases do rentismo e mobilizar quem está organizado para combater este absurdo. No final da tarde de 19 de maio tive a oportunidade de retornar ao contato com a base de trabalhadores do município de Cachoeirinha (Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha), na Região Metropolitana de Porto Alegre. O tema da formação para a categoria era a relação da dívida pública com a financeirização da economia e a ausência de controle democrático sobre os rumos da riqueza nacional. A exposição em si levou menos de uma hora e quinze minutos, incluindo um saudável intervalo.
read full story / add a comment
As MPs 664 e 665 têm uma perigosa coerência com o Projeto Lei 4330, o que aprova a terceirização da atividade-fim das empresas. Qualquer cálculo de isenção, fraude e sonegação fiscal ultrapassa as medidas de ajuste promovidas pelo ministro banqueiro.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Sunday May 17, 2015 23:14 by BrunoL   image 1 image
17 de maio de 2015, Bruno Lima Rocha

A base do modelo de empresa – e empresa em rede para a sociedade. Isto é o que está em jogo com o processo de austeridade fiscal que vem do governo e o golpe da reação com o Projeto Lei 4330, desengavetado por Eduardo Cunha. Nesta semana, a Câmara votou a Medida Provisória 664 e, através de outra manobra surpresa do cardeal neo-pentecostal e dono de mídia do PMDB fluminense, apareceu o projeto que revisa a base de cálculo previdenciário. Na prática, o Brasil assistiu outro triste espetáculo com políticos camaleões, onde neoliberais travestiram-se de defensores dos aposentados e ex-reformistas incorporaram o discurso da tal da governabilidade. Assim, a Previdência que é superavitária em mais de R$ 83 bilhões ao ano, caso este projeto venha a ser aprovado após passar por todo o rito parlamentar e a sanção da ex-guerrilheira arrependida (algo que duvido), pode gerar uma sobrevida um pouco menos injusta para os que contribuíram com o país por mais de 35 anos e da União levam a escassez porque tudo tem de entrar no maldito regime de caixa para gerar dividendos para os que vivem de capital fictício.

Vejamos na sequência alguns episódios mais marcantes desta semana última no cenário político e ideológico brasileiro.
read full story / add a comment
No festival de oportunismo e traição da Câmara, a oposição de direita se arvora de defensora dos trabalhadores e cobra a coerência de Dilma e sua bancada. Os parlamentares petistas, vergonhosamente, votam a favor do regime de caixa da direita financeira.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Monday May 11, 2015 10:56 by BrunoL   image 1 image
Bruno Lima Rocha, 10 de maio de 2015

Na noite de 4ª, 5 de maio o texto-base da Medida Provisória 665 foi aprovado na Câmara com o apoio de boa parte da base do “governo” tendo a bancada federal do Partido dos Trabalhadores (PT) fechado questão a favor. Na véspera da votação, o mundo parecia de ponta cabeça, incluindo a rebeldia de parlamentares petistas, seguindo a linha de independência e algum classismo manifestado pelo senador e ex-trabalhador metalúrgico Paulo Paim. No plenário da câmara baixa, houve de tudo. Seguindo a lógica maquiavélica, onde moral e política podem não se coadunar e tampouco a coerência discursiva vale de algo, a oposição da direita que não é governo se portara como o PT dos anos ’80. Parlamentares tucanos e udenistas brandiam réplicas de papelão de carteiras de trabalho e nas galerias, a Força Sindical se travestia de base autêntica do período da Conclat. Tudo para constranger o governo de centro-direita e tentar aumentar a celeuma entre a direita que está no governo e a que se localiza fora da partilha dos ministérios.
read full story / add a comment
Dilma Rousseff e Armando Monteiro, seu ministro da Indústria e Comércio, o senador pelo PTB pernambucano e ex-presidente da CNI. A materialização do peleguismo quando a ex-esquerda segue desesperada atrás da miragem de um empresariado nacional
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Monday May 04, 2015 04:36 by BrunoL   image 1 image
03 de maio de 2014, Bruno Lima Rocha

Vejam o exemplo material da traição de classe deste governo que fez campanha dizendo que não mexeria em nenhum direito dos trabalhadores. O ministro do de Indústria e Comércio de Dilma é Armando Monteiro ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), senador pelo PTB de Pernambuco. Dilma passou o final de semana anterior ao 1º de Maio preparando um pacote de privatizações indiretas da ordem de 150 bilhões para concessões de portos, aeroportos, rodovias, hidrovias e ferrovias. E mesmo com tantas vantagens o Planalto é incapaz de impor uma condição de negociar com a CNI a manutenção da CLT, considerando que o empresariado acumula ganhos por uma década através do financiamento via BNDES e bancos estatais. A propaganda da CNI que está sendo distribuída via redes sociais, assim como a ofensiva de mídia da Fiesp e demais federações empresariais são a prova cabal da imposição de agenda com aceitação de Dilma e cia.
read full story / add a comment
A terceirização é a face legal da acumulação flexível, um dos braços do pós-fordismo que governa nossos tempos e movimentos em todas as escalas. Se aprovado, é a realização da tenebrosa profecia de FHC.
brazil/guyana/suriname/fguiana / economia / opinião / análise Monday April 27, 2015 11:48 by BrunoL   image 1 image
Bruno Lima Rocha – 24 de abril de 2015

A 4ª feira 22 de abril iniciou com um leve tom de confiança por parte dos sindicalistas vinculados a CUT e CTB (governistas) e mesmo os representantes da CSP Conlutas e da Intersindical (à esquerda do governo). Como afirmei em textos anteriores, após anos de peleguice e da triste sina de ir a reboque de um governo de centro direita parece que as energias restantes do sindicalismo brasileiro ao menos conseguem ser suficientes para defender direitos adquiridos. O PL 4330 seria a pior derrota desde o golpe de 1964 e deveria ser derrotado. Se este retrocesso fosse interrompido será possível brecar a agenda conservadora do Blocão que também é "base" do governo. Não foi desta vez. read full story / add a comment
10389494_10204353816778598_870517678142141480_n.jpg
mashriq / arabia / iraq / economía / opinión / análisis Thursday April 09, 2015 06:18 by Janet Biehl   image 1 image
A medida que continúa la revolución de Rojava, la naturaleza de su economía ha sido muy discutida. Como he escrito anteriormente, Rojava aspira a una economía social basada en el sistema de cooperativas. En las últimas semanas, varias personas me han preguntado por las ideas de Murray Bookchin sobre la economía: ¿cuáles son los aspectos económicos del municipalismo libertario? He creado un resumen de su pensamiento, sobre la base de los recursos enumerados al final de este artículo. -Janet Biehl read full story / add a comment
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Neste 8 de Março, levantamos mais uma vez a nossa voz e os nossos punhos pela vida das mulheres!
© 2005-2019 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]