user preferences

New Events

Rússia / Ucrânia / Bielorússia

no event posted in the last week

75 anos do assassinato de Olga Ruvinskaia

category rússia / ucrânia / bielorússia | a esquerda | other libertarian press author Friday April 12, 2013 05:27author by ANARKISTA BAKUNINISTA - LUTA Report this post to the editors

professora,metalurgica,operaria,anarquista, socialista revolucionaria ...

ma breve biografia de Olga Taratuta a "avó" do movimento anarquista russo e um dos fundadores da Cruz Negra Anarquista

taratuta.jpg

Elka Ruvinskaia nasceu na aldeia de Novodmitrovka perto Kherson na Ucrânia em 21 de janeiro de 1876 (ou possivelmente 1874 ou 1878). Sua família era judia e seu pai tinha uma pequena loja. Depois de seus estudos, trabalhou como professora. Ela foi presa por "suspeita de pratica política", em 1895. Em 1897, ela se juntou a um grupo social-democrata por influência do do seu irmão (que mais tarde tornou-se anarquista). Em 1898-1901 foi membro da comissão de Elizavetgrad do Partido Social-Democrata e da União do Sul da russa de Trabalhadores. Em 1901, ela fugiu para o estrangeiro, vivendo na Alemanha e na Suíça, onde conheceu Lenin e Plekhanov e trabalhou para o jornal Iskra.
Em 1903, na Suíça, ela se tornou anarquista e Em 1904, ela voltou para Odessa e se juntou ao grupo Sem partido, que foi composto por anarquistas e discípulos do socialista polonês Machajski. foi presa em April1904 e no outono foi libertada por falta de provas. Ela, então, juntou-se ao Grupo Trabalhadores de Odessa onde atuavam alguns grupos anarquistas e distribuiu propaganda em círculos de trabalhadores organizados. começou então a adquirir uma reputação como um dos mais notáveis anarquistas na Rússia. Ela usou o pseudônimo Babushka/taratuta (vovó) um apelido estranho considerando que ela ainda era apenas em torno de 30.
No início de outubro de 1905, ela foi presa novamente, mas foi novamente liberada com a anistia de Outubro. Ela se juntou ao Destacamento Batalha ,dos anarquistas do sul da russia que usava a tática ´´anarcoterrorista´´ com ataques a instituições e representantes do regime autocrático, em vez de indivíduos mais visados com ligação ao regime. Ela ajudou a preparar o ataque notório no café Libman, em dezembro de 1905. Ela foi presa e condenada a 17 anos de prisão em 1906, ela escapou da prisão em 15 de dezembro e fugiu para Moscou. Em dezembro de 1906 ela entrou para a organização anarquista de moscou a organização Buntar (organização rebelde) que fazia agutações grevistas nos locais de trabalho. Após a prisão de membros do grupo março 1907, ela e alguns outros fugiram para a Suíça, onde editou um jornal com o mesmo nome.
No Outono de 1907 Olga voltou a Ekaterinoslav e Kiev e depois mudou-se para Odessa. Ela preparou uma atentado contra o comandante da região militar de Odessa, e contra o general Tolmachov governador de Odessa e uma explosão no tribunal Odessa. russo e um dos fundadores da Cruz Negra Anarquista
Elka Ruvinskaia nasceu na aldeia de Novodmitrovka perto Kherson na Ucrânia em 21 de janeiro de 1876 (ou possivelmente 1874 ou 1878). Sua família era judia e seu pai tinha uma pequena loja. Depois de seus estudos, trabalhou como professora. Ela foi presa por "suspeita de pratica política", em 1895. Em 1897, ela se juntou a um grupo social-democrata por influência do do seu irmão (que mais tarde tornou-se anarquista). Em 1898-1901 foi membro da comissão de Elizavetgrad do Partido Social-Democrata e da União do Sul da russa de Trabalhadores. Em 1901, ela fugiu para o estrangeiro, vivendo na Alemanha e na Suíça, onde conheceu Lenin e Plekhanov e trabalhou para o jornal Iskra.
Em 1903, na Suíça, ela se tornou anarquista e Em 1904, ela voltou para Odessa e se juntou ao grupo Sem partido, que foi composto por anarquistas e discípulos do socialista polonês Machajski. foi presa em April1904 e no outono foi libertada por falta de provas. Ela, então, juntou-se ao Grupo Trabalhadores de Odessa onde atuavam alguns grupos anarquistas e distribuiu propaganda em círculos de trabalhadores organizados. começou então a adquirir uma reputação como um dos mais notáveis anarquistas na Rússia. Ela usou o pseudônimo Babushka/taratuta (vovó) um apelido estranho considerando que ela ainda era apenas em torno de 30.
No início de outubro de 1905, ela foi presa novamente, mas foi novamente liberada com a anistia de Outubro. Ela se juntou ao Destacamento Batalha ,dos anarquistas do sul da russia que usava a tática ´´anarcoterrorista´´ com ataques a instituições e representantes do regime autocrático, em vez de indivíduos mais visados com ligação ao regime. Ela ajudou a preparar o ataque notório no café Libman, em dezembro de 1905. Ela foi presa e condenada a 17 anos de prisão em 1906, ela escapou da prisão em 15 de dezembro e fugiu para Moscou. Em dezembro de 1906 ela entrou para a organização anarquista de moscou a organização Buntar (organização rebelde) que fazia agutações grevistas nos locais de trabalho. Após a prisão de membros do grupo março 1907, ela e alguns outros fugiram para a Suíça, onde editou um jornal com o mesmo nome.
No Outono de 1907 Olga voltou a Ekaterinoslav e Kiev e depois mudou-se para Odessa. Ela preparou uma atentado contra o comandante da região militar de Odessa, e contra o general Tolmachov governador de Odessa e uma explosão no tribunal Odessa.
No final de fevereiro 1908, ela foi a Kiev para preparar a explosão dos muros da prisão de prisão Lukianovka e organizou a fuga dos anarquistas detidos lá. No entanto, todos os outros membros do grupo foram presos, mas Olga conseguiu fugir. Ela foi presa em Ekaterinoslav e no final de 1909, condenado a 21 anos de prisão. Ela foi libertado da prisão Lukianovka março 1917. Como Paul Avrich diz em seu livro Os anarquistas russos, ela era agora "uma mulher cansada e suave em seus quarenta e tantos anos," no primeiro momento mantendo a distância do movimento. Em maio de 1918, ela organizou a Cruz Vermelha socialista em Kiev, que ajudava revolucionários presos, independentemente de suas filiações políticas, e que uma vez até ajudou bolcheviques. Até sua velha intrasigência revolucionário voltou, disparada por sua indignação crescente como anarquistas revolucionários estavam sendo tratados pelos bolcheviquese foi buscar uma organização anarquista mais avançada. Em 1919, ela se mudou para Moscou. Em junho de 1920 ela participou da organização de Golos Truda (Voz do Trabalho). No final de setembro de 1920 após a assinatura do pacto entre o governo soviético e os makhnovistas ela voltou para a Ucrânia. Em Gulyai Polye a ela foram dados 5 milhões de rublos pelos comandantes makhnovista. Com esse dinheiro ela foi para Kharkov e connstruir a Cruz Negra Anarquista que ajudou anarquistas presos e reprimidos. Em novembro de Olga foi eleito como representante dos makhnovistas em Kharkov e Moscou.
Durante a onda de repressão contra os anarquistas e makhnovistas na Ucrânia, Olga foi presa novamente. A Cruz Negra foi fechado e seu centro destruído. Em janeiro de 1921, ela foi transportado para Moscou com 40 outros anarquistas ucranianos.Ela foi um dos anarquistas presos autorizados a assistir ao funeral de Kropotkin pelos bolcheviques. No final de abril de 1921, ela foi transferida para a prisão Orlov. Em maio de 1921, o procurador-geral soviético propôs a Olga que ela poderia ser liberada se ela se retratou de suas idéias em público. No verão de 1921, ela se juntou à greve de fome de 11 dias de anarquistas presos. Em março de 1922 ela foi exilada por dois anos para Velikii Ustiug.
Libertada no início de 1924, ela se mudou para Kiev. Ela deixou toda a atividade, mas manteve contato pessoal com vários anarquistas. Meados de 1924 ela foi presa por fazer propaganda anarquista contra a a campanha difamatoria dos makhnovistas feita pelos bolcheviques, mas logo foi liberada. Em 1924, ela se mudou para Moscou. Em 1927, ela apoiou a campanha de Sacco e Vanzetti. Em 1928-1929, ela escreveu muitas cartas sobre a necessidade de organizar uma campanha internacional para os anarquistas presos na União Soviética. Em 1929 ela se mudou para Odessa, onde foi presa por tentar criar células anarquistas entre os trabalhadores-ferroviarios (Durante este período, nos anos 20 ela estava envolvida com os anarquistas Odessa no contrabando ilegal de literatura anarquista na URSS). Ela teve um periodo de 2 anos em solitária". Ela foi libertado em 1931 e voltou para Moscou. Ela tornou-se membro da Sociedade de ex-presos políticos e exilados que tentaram obter pensões para antigos, revolucionários pobres e doentes, mas sem sucesso. Em 1933, ela foi novamente presa e condenada, mas documentos deste processo não existem mais. Em 1937, ela estava morando em Moscou e trabalhou em uma metalurgica como um esmilhiradora.
em 27 de novembro de 1937, Ela foi presa novamente e acusada de anarquistas e anti-soviética em atividade. Em 08 de fevereiro de 1938 Olga foi condenado à morte pelo Tribunal superior da União Soviética e executada no mesmo dia.
NÃO ESQUECEMOS E NÃO PERDOAMOS!

This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Verso lo sciopero generale e sociale nel mondo del lavoro, nei territori, nelle piazze

Rússia / Ucrânia / Bielorússia | A Esquerda | pt

Thu 23 Oct, 12:36

browse text browse image

Sorry, no stories matched your search, maybe try again with different settings.
Sorry, no stories matched your search, maybe try again with different settings.
Sorry, no press releases matched your search, maybe try again with different settings.
© 2005-2014 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]