user preferences

New Events

América Central / Caribe

no event posted in the last week

Yoani Sánchez e o debate oculto

category américa central / caribe | a esquerda | opinião / análise author Sunday March 03, 2013 00:23author by Bruno Lima Rocha Report this post to the editors

Os protestos pela presença de Yoani Sánchez no Brasil decorrem do financiamento de sua publicação e das duvidosas alianças tecidas por esta ativista liberal dentro da Ilha.

yoanisanchez_brasil.jpg

A presença no Brasil da blogueira ativista liberal cubana Yoani Sánchez, e os protestos subseqüentes nos remetem a uma série de polêmicas tristemente esquecidas. Geralmente, quando o tema em pauta é Cuba, paixões afloram para além de alguma base argumentativa. A ilha dos irmãos Castro foi um símbolo poderoso ao romper a política de detenção, onde os partidos comunistas satélites de Moscou operavam como bombeiros das lutas populares na América Latina e Europa. No ocidente, após o sistema mundo instalado nos Acordos de Yalta, a antiga União Soviética se comprometia a respeitar o que havia de instituição, ou ao menos, agir de forma subserviente da hegemonia dos EUA e seus aliados da OTAN. Com a vitória em 1º de janeiro de 1959, o Movimento 26 de julho abre o espaço para a insurgência em todo o Continente, passando a rivalizar com as legendas stalinistas. Esta é uma das partes boas da história.

A outra é a construção de um sistema social de amparo em Cuba, transformando em dez anos o antigo cassino e ilha dos pecados da máfia estadunidense em um país campeão de indicadores sócio-econômicos. Durante o período da bipolaridade, o governo de Fidel Castro operara de forma semi-autônoma na sua política externa, apoiando diretamente, até o final dos anos ’80, guerras anti-coloniais como a de Angola ou insurgentes centro-americanos. Enfrentando um bloqueio econômico de meio século e quase indo à débâcle após o colapso soviético, o apoio a Cuba faz das críticas algo próximo do sacrilégio. É quase impossível debater, o que se comprova literalmente nos episódios de Feira de Santana.

Criticar o sistema político cubano por esquerda não é fazer coro com os gusanos de Miami e tampouco com Yoani. Qualquer um com alguma experiência em novas mídias imagina o volume de recursos existente para a tradução dos conteúdos do blog Generación Y em vinte idiomas. Isto não é fruto apenas esforço de viúvas anti-comunistas da Guerra Fria mas, no mínimo, do poderoso lobby cubano da Florida e os recursos subseqüentes. A diferença substantiva é que Sánchez e seus correligionários são dissidentes internos e não terroristas e criminosos como os membros da Alpha 66 e outras organizações para-militares toleradas pelo Departamento de Estado.

Não há impossibilidade teórica e prática em compatibilizar direitos políticos, democracia direta e políticas sociais de distribuição igualitária. Propositadamente, este debate é ocultado tanto pelos “seguidores” de Yoani como por seus críticos brasileiros.

Observação: vale conferir o artigo http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=aa5...11015 no entender deste analista trata-se da crítica, munida com informações mais fundamentadas a respeito das fontes de financiamento do ativismo cibernético de Yoani Sánchez. O texto é do professor francês Salim Lamrani.

Bruno Lima Rocha

Related Link: http://estrategiaeanalise.com.br
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Issue #3 of the Newsletter of the Tokologo African Anarchist Collective

Front page

Elementos da Conjuntura Eleitoral 2014

The experiment of West Kurdistan (Syrian Kurdistan) has proved that people can make changes

[Chile] EL FTEM promueve una serie de “jornadas de debate sindical”

Ukraine: Interview with a Donetsk anarchist

The present confrontation between the Zionist settler colonialist project in Palestine and the indigenous working people

Prisões e mais criminalização marcam o final da Copa do Mundo no Brasil

An Anarchist Response to a Trotskyist Attack: Review of “An Introduction to Marxism and Anarchism” by Alan Woods (2011)

هەڵوێستی سەربەخۆی جەماوەر لە نێوان داعش و &

Contra a Copa e a Repressão: Somente a Luta e Organização!

Nota Pública de soldariedade e denúncia

Üzüntümüz Öfkemizin Tohumudur

Uruguay, ante la represión y el abuso policial

To vote or not to vote: Should it be a question?

Mayday: Building A New Workers Movement

Anarchist and international solidarity against Russian State repression

Argentina: Atentado y Amenazas contra militantes sociales de la FOB en Rosario, Santa Fe

Réponses anarchistes à la crise écologique

50 оттенков коричневого

A verdadeira face da violência!

The Battle for Burgos

Face à l’antisémitisme, pour l’autodéfense

Reflexiones en torno a los libertarios en Chile y la participación electoral

Mandela, the ANC and the 1994 Breakthrough: Anarchist / syndicalist reflections

Melissa Sepúlveda "Uno de los desafíos más importantes es mostrarnos como una alternativa real"

América Central / Caribe | A Esquerda | pt

Fri 19 Sep, 13:52

browse text browse image

Sorry, no stories matched your search, maybe try again with different settings.

imageREVOLUÇÃO CUBANA Feb 20 by Júnior Bellé 0 comments

Em 1º de janeiro de 2009 completa-se 50 anos da Revolução Cubana. Neste mesmo dia, em 1959, Fidel Castro destrona Fulgencio Bastista e torna-se o novo ditador da ilha. Este artigo trata das histórias desta revolução e daqueles que terminaram traídos por ela.

Sorry, no press releases matched your search, maybe try again with different settings.
© 2005-2014 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]