user preferences

New Events

América Central / Caribe

no event posted in the last week

Yoani Sánchez e o debate oculto

category américa central / caribe | a esquerda | opinião / análise author Sunday March 03, 2013 00:23author by Bruno Lima Rocha Report this post to the editors

Os protestos pela presença de Yoani Sánchez no Brasil decorrem do financiamento de sua publicação e das duvidosas alianças tecidas por esta ativista liberal dentro da Ilha.

yoanisanchez_brasil.jpg

A presença no Brasil da blogueira ativista liberal cubana Yoani Sánchez, e os protestos subseqüentes nos remetem a uma série de polêmicas tristemente esquecidas. Geralmente, quando o tema em pauta é Cuba, paixões afloram para além de alguma base argumentativa. A ilha dos irmãos Castro foi um símbolo poderoso ao romper a política de detenção, onde os partidos comunistas satélites de Moscou operavam como bombeiros das lutas populares na América Latina e Europa. No ocidente, após o sistema mundo instalado nos Acordos de Yalta, a antiga União Soviética se comprometia a respeitar o que havia de instituição, ou ao menos, agir de forma subserviente da hegemonia dos EUA e seus aliados da OTAN. Com a vitória em 1º de janeiro de 1959, o Movimento 26 de julho abre o espaço para a insurgência em todo o Continente, passando a rivalizar com as legendas stalinistas. Esta é uma das partes boas da história.

A outra é a construção de um sistema social de amparo em Cuba, transformando em dez anos o antigo cassino e ilha dos pecados da máfia estadunidense em um país campeão de indicadores sócio-econômicos. Durante o período da bipolaridade, o governo de Fidel Castro operara de forma semi-autônoma na sua política externa, apoiando diretamente, até o final dos anos ’80, guerras anti-coloniais como a de Angola ou insurgentes centro-americanos. Enfrentando um bloqueio econômico de meio século e quase indo à débâcle após o colapso soviético, o apoio a Cuba faz das críticas algo próximo do sacrilégio. É quase impossível debater, o que se comprova literalmente nos episódios de Feira de Santana.

Criticar o sistema político cubano por esquerda não é fazer coro com os gusanos de Miami e tampouco com Yoani. Qualquer um com alguma experiência em novas mídias imagina o volume de recursos existente para a tradução dos conteúdos do blog Generación Y em vinte idiomas. Isto não é fruto apenas esforço de viúvas anti-comunistas da Guerra Fria mas, no mínimo, do poderoso lobby cubano da Florida e os recursos subseqüentes. A diferença substantiva é que Sánchez e seus correligionários são dissidentes internos e não terroristas e criminosos como os membros da Alpha 66 e outras organizações para-militares toleradas pelo Departamento de Estado.

Não há impossibilidade teórica e prática em compatibilizar direitos políticos, democracia direta e políticas sociais de distribuição igualitária. Propositadamente, este debate é ocultado tanto pelos “seguidores” de Yoani como por seus críticos brasileiros.

Observação: vale conferir o artigo http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=aa5...11015 no entender deste analista trata-se da crítica, munida com informações mais fundamentadas a respeito das fontes de financiamento do ativismo cibernético de Yoani Sánchez. O texto é do professor francês Salim Lamrani.

Bruno Lima Rocha

Related Link: http://estrategiaeanalise.com.br
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
E

Front page

Bil'in - 10 years of persistent joint struggle

In solidarity with the NO TAV struggle

Wave of arrests in Ireland as state tries to break water charges movement

Não se intimidar, não desmobilizar! Toda nossa solidariedade ao companheiro Vicente!

After the election of Syriza in Greece - Power is not in Parliament

[Chile] Movimiento Estudiantil: ¿En dónde debemos enfocar nuestros esfuerzos?

Je ne suis pas Charlie

México en llamas: raíces y perspectivas de una lucha que avanza y la crisis de un sistema político

Sobre la liberación de prisioneros y el restablecimiento de relaciones diplomáticas, por los gobiernos de Cuba y EE.UU.

No to Golden Dawn in Australia!

Abusos y arbitrariedad - retención de JOSÉ A. GUTIÉRREZ, en el bajo Caguán, Caquetá

Could a Revolution Happen in the US?

An Anarchist Communist Reply to ‘Rojava: An Anarcho-Syndicalist Perspective’

Lutar e vencer fora das urnas

In the Rubble of US Imperialism

Elementos da Conjuntura Eleitoral 2014

The experiment of West Kurdistan (Syrian Kurdistan) has proved that people can make changes

[Chile] EL FTEM promueve una serie de “jornadas de debate sindical”

Ukraine: Interview with a Donetsk anarchist

The present confrontation between the Zionist settler colonialist project in Palestine and the indigenous working people

Prisões e mais criminalização marcam o final da Copa do Mundo no Brasil

An Anarchist Response to a Trotskyist Attack: Review of “An Introduction to Marxism and Anarchism” by Alan Woods (2011)

هەڵوێستی سەربەخۆی جەماوەر لە نێوان داعش و &

Contra a Copa e a Repressão: Somente a Luta e Organização!

América Central / Caribe | A Esquerda | pt

Fri 06 Mar, 14:33

browse text browse image

Sorry, no stories matched your search, maybe try again with different settings.

imageREVOLUÇÃO CUBANA Feb 20 by Júnior Bellé 0 comments

Em 1º de janeiro de 2009 completa-se 50 anos da Revolução Cubana. Neste mesmo dia, em 1959, Fidel Castro destrona Fulgencio Bastista e torna-se o novo ditador da ilha. Este artigo trata das histórias desta revolução e daqueles que terminaram traídos por ela.

Sorry, no press releases matched your search, maybe try again with different settings.
© 2005-2015 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]