user preferences

New Events

Mashriq / Arabia / Iraq

no event posted in the last week

Israel, EUA e verdades que incomodam

category mashriq / arabia / iraq | imperialismo / guerra | opinião / análise author Friday November 23, 2012 20:35author by Bruno Lima Rocha Report this post to the editors

O recente armistício assinado entre Hamas e Israel foi visto como uma vitória parcial pela organização integrista palestina.

israeleeuu.jpg

Entrar na complexidade do conflito árabe-israelense e a libertação da Palestina implicam em confrontar o senso comum. Como sempre, as verdades factuais incomodam. Os bombardeios de Israel contra a Faixa de Gaza, longe de ser “somente” uma resposta contra a ação do Hamas, são também uma demonstração de força para os países da região, sacudidos pela Primavera Árabe. Isto reflete a situação de interdependência dos EUA para o Estado sionista e vice-versa.

Em termos de realismo político, trata-se de uma situação de duplo veto. Os Estados Unidos, além de terem poder de veto no Conselho de Segurança da ONU, dão o suporte da defesa israelense, o que implica a própria condição de existência do país. Em contrapartida, o maior lobby do mundo opera em Washington e tem como atividade-fim a subordinação da política externa do Império para com os interesses da elite dirigente de Israel. É inimaginável para o estadunidense médio algo diferente do apoio incondicional de seu país para com os aliados ocidentais no Oriente Médio. Neste sentido, por mais que o Ocidente tenha uma dívida histórica com o povo judeu, o Estado criado em 1948 opera como cabeça de ponte tal e como atuava a África do Sul do apartheid. Assim, as resoluções das Nações Unidas a respeito da criação de um Estado Palestino tornam-se inócuas, e pela via dos fatos, o novo país está cada vez mais distante de ser criado.

O discurso que corre no Ocidente responsabiliza o Hamas pelo não andamento dos Acordos de Paz de Oslo. Por mais que o partido-armado integrista de credo sunita seja o oposto de qualquer democracia, seu rival secular, o Fatah, tampouco é democrático ou legalista. Em 2006 o Hamas vence as eleições parlamentares da Autoridade Nacional Palestina e, um ano depois, sofre na Cisjordânia um golpe de Estado dos correligionários de Mahmoud Abbas. Desde então os integristas controlam Gaza e, desta região, fazem simultaneamente a resistência contra Israel e rivalizam politicamente com a Fatah. Do lado israelense, qualquer resposta militar contra os vizinhos implica em apoio eleitoral e facilidades na composição de maioria parlamentar.

O impasse traz duas constatações. Se o Estado Palestino for criado através do conflito, isto levaria a uma guerra de proporções regionais, contando com a intervenção dos EUA como medida extrema. A balança pende para a política interna israelense, onde uma pulsante sociedade civil tenta revitalizar as tradições do humanismo judaico de inspiração pacifista e universal.

Bruno Lima Rocha

Related Link: http://www.estrategiaeanalise.com.br
This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Revista "Socialismo Libertário" num. 2

Latest News

Mashriq / Arabia / Iraq | Imperialismo / Guerra | pt

Mon 21 Apr, 15:07

browse text browse image

freegazaorg.jpg imageO Massacre da Flotilla Libertad para Gaza: a nova mordida do cão raivoso. 00:37 Sat 05 Jun by José Antonio Gutiérrez D. 0 comments

textSituação actual do Iraque segundo um líder sindical iraquiano 21:23 Wed 03 Oct by Manuel Baptista 0 comments

textLIBANO: uma falsa paz entre uma guerra interrompida e aquela que se anuncia 06:33 Sat 02 Sep by Federazione dei Comunisti Anarchici 0 comments

© 2005-2014 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]