user preferences

New Events

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

no event posted in the last week

Nota da FAG aos Municipários de Cacheirinha

category brazil/guyana/suriname/fguiana | história do anarquismo | comunicado de imprensa author Sunday May 29, 2011 16:52author by Federação Anarquista Gaúcha - FAG Report this post to the editors

Alguns ignorantes tem feito mau uso da palavra anarquia, fazendo inclusive acusações dizendo que anarquistas querem dar um golpe no sindicato. Essas manifestações demonstram um total desconhecimento e falta de respeito com os anarquistas e a ideologia...


Anarquismo e Sindicalismo


Alguns ignorantes tem feito mau uso da palavra anarquia, fazendo inclusive acusações dizendo que anarquistas querem dar um golpe no sindicato. Essas manifestações demonstram um total desconhecimento e falta de respeito com os anarquistas e a ideologia.

O anarquismo é uma ideologia que nasce junto com as idéias socialistas no século XIX. Naquele período o anarquismo acompanhou e até hoje está aliado aos trabalhadores que lutam e sonham com uma transformação profunda dessa sociedade desigual dominada pelo sistema capitalista.

A própria organização dos trabalhadores nos seus primeiros sindicatos surge na mesma época em que nasce a ideologia anarquista. Quando foi formada a Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT), Bakunin e outros anarquistas pontuavam a importância dos sindicatos como instrumento de organização dos trabalhadores. Também destacavam que: as lutas dos trabalhadores devem ter independência de todo partido político; as conquistas devem ser fruto da ação direta dos trabalhadores contra os governos e patrões; as reivindicações econômicas são o elemento de atração dos trabalhadores para as lutas.

Desse modo, a relação entre o anarquismo e o sindicalismo se dá a partir do fortalecimento que os militantes anarquistas promovem estimulando a participação dos trabalhadores no sindicato. De modo algum o anarquismo pretende se apropriar do sindicato para propagar a sua ideologia. O sindicato é uma forma de organização que é patrimônio dos trabalhadores, portanto, nenhuma ideologia deve converter um sindicato a sua maneira de pensar. Essa bandeira os anarquistas defendem quando se fala no princípio da independência de classe.

Dentro dos sindicatos os anarquistas defendem a democracia direta e o protagonismo dos trabalhadores na tomada das decisões em oposição ao centralismo e a burocratização que afastam e desestimulam a participação.

Portanto, o que o anarquismo tem para contribuir com o sindicalismo é um conjunto de princípios e métodos, entre esses: a democracia direta, a solidariedade de classe, a independência de classe e a ação direta. Esse conjunto de idéias forma parte de uma tradição no movimento sindical chamada de sindicalismo revolucionário. E foi justamente a tradição do sindicalismo revolucionário que no Brasil e no mundo impulsionou as primeiras greves gerais e as conquistas de direitos históricos para a classe trabalhadora.

Enfim, ao contrário de alguns que propagam a ignorância, a proposta anarquista está baseada na educação pelos fatos, estimulando que os trabalhadores construam a consciência através das práticas cotidianas e não sejam enganados pelas mentiras e promessas dos discursos oportunistas.

Federação Anarquista Gaúcha

11 de maio de 2011

Related Link: http://www.vermelhoenegro.co.cc

This page has not been translated into Türkçe yet.

This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
E

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana | História do anarquismo | Comunicado de imprensa | pt

Wed 27 May, 17:49

browse text browse image

Élisée Reclus - Da Ação Humana na Geografia Física / Geografia Comparada no Espaço e no Tempo imageLançamento Livros Elisee Reclus 05:59 Wed 21 Jul by Adriano Skoda 0 comments

A editora anarquista Imaginário acaba de lançar três livros de Élisée Reclus em português, são eles:
Élisée Reclus – Renovação de uma Cidade / Repartição dos Homens
Élisée Reclus – Da Ação Humana na Geografia Física / Geografia Comparada no Espaço e no Tempo
Élisée Reclus – Do Sentimento da Natureza nas Sociedades Modernas

imageBakunin, Malatesta e o Debate da Plataforma May 15 by Felipe Corrêa e Rafael Viana da Silva 0 comments

Nesse artigo, os autores realizam uma discussão da organização política anarquista. Partem das contribuições relativas ao tema de Mikhail Bakunin e Errico Malatesta mostrando que há similaridades entre elas e a da Plataforma Organizacional da União Geral dos Anarquistas. Conforme apontam, Bakunin constitui a base teórica da Plataforma e Malatesta possui posições que alguma vezes aproximam-se dela e outras da Síntese Anarquista. Consideram, assim, que nenhuma das posições em questão pode ser coerentemente inscrita no campo do marxismo/bolchevismo ou de um suposto “anarcobolchevismo”. Os autores analisam o debate entre Malatesta e Nestor Makhno sobre a Plataforma mostrando onde, realmente, estão as divergências entre ambos. Por meio de uma reflexão histórica do impacto da Plataforma, demonstram como as críticas estabelecidas nos anos 1920, em grande medida realizadas por leituras ideologizadas, somadas a duas experiências práticas dos anos 1950 e a hegemonia francesa na discussão do tema, vêm pautando erroneamente o debate.

imageAnarquismo, Poder, Classe e Transformação Social Nov 06 by Felipe Corrêa 0 comments

O presente artigo discute, por meio de elementos teóricos e históricos, a relação do anarquismo com poder, classe e transformação social. Partindo de uma definição do anarquismo, sustenta que relacionar anarquismo e poder exige superar uma problemática semântica, e propõe conceituar o poder em termos de relação entre forças sociais assimétricas. Sustenta ainda que os anarquistas têm uma concepção e um projeto geral de poder que subsidia sua concepção de classe, estabelecida por meio de um tipo de poder (a dominação), e constitui as bases de sua noção de transformação social, que se caracteriza por: sua crença na capacidade de realização dos sujeitos que constituem parte das distintas classes dominadas, seu investimento na transformação dessa capacidade em força social, seu intento para que esta força aumente permanentemente, sua defesa de um processo revolucionário que permita superar as forças inimigas e substituir o poder dominador da sociedade por um poder autogestionário.

imageAnarquismo, Teoria e História Oct 25 by Felipe Corrêa e Rafael Viana da Silva 0 comments

Texto que discute o anarquismo, desde uma perspectiva teórica e histórica.

imageO sindicalismo revolucionário como estratégia dos Congressos Operários (1906, 1913, 1920) Apr 19 by João Gabriel da Fonseca Mateus 0 comments

Neste texto, publicado originalmente na revista Enfrentamento e tendo sofrido algumas modificações, o autor João Gabriel discute os congressos que marcaram o movimento operário do Brasil na Primeira República, afirmando que a estratégia desse movimento, a partir de suas deliberações congressuais, foi o sindicalismo revolucionário. Realiza, assim, duas afirmações relevantes: por um lado, contesta estudos anteriores que afirma que a estratégia do movimento operário brasileiro no período teria sido o anarco-sindicalismo; por outro, realiza uma relação entre o anarquismo e o sindicalismo revolucionário, fundamental para a compreensão da história do movimento operário no Brasil.

imageTrajetórias Organizacionistas: Anarquismo e Sindicalismo Revolucionário no Brasil, anos 40 e 50 Jan 11 by Rafael V. da Silva 0 comments

Apesar da crise do sindicalismo revolucionário a partir dos anos 1930 não se pode afirmar que a atividade anarquista se extinguira nos anos posteriores

more >>

imageLançamento Livros Elisee Reclus Jul 21 Biblioteca Terra Livre 0 comments

A editora anarquista Imaginário acaba de lançar três livros de Élisée Reclus em português, são eles:
Élisée Reclus – Renovação de uma Cidade / Repartição dos Homens
Élisée Reclus – Da Ação Humana na Geografia Física / Geografia Comparada no Espaço e no Tempo
Élisée Reclus – Do Sentimento da Natureza nas Sociedades Modernas

© 2005-2015 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]