user preferences

New Events

Internacional

no event posted in the last week

Ação Direta

category internacional | movimento anarquista | opinião / análise author Monday June 15, 2009 08:16author by Emile Pouget Report this post to the editors

Excertos

Trechos do texto clássico "L'Action Directe", em que Emile Pouget - um dos maiores representantes do sindicalismo revolucionário - trata da questão da ação direta . O sindicalismo revolucionário teve significativa influência em nossa corrente (especifista), principalmente por seus aspectos classistas e pela ênfase que deu à participação dos anarquistas no seio da luta de classes.

Emile Pouget
Emile Pouget

AÇÃO DIRETA

Emile Pouget

A ação direta é a simbolização do sindicalismo agente. Essa fórmula é representativa da batalha travada contra a exploração e a opressão. Ela proclama, com uma clareza que traz em si, o sentido e a orientação do esforço da classe operária no assalto empreendido por ela, e sem trégua, ao capitalismo. A ação direta é uma noção de tal clareza, de tão evidente limpidez, que se define e se explica por seu próprio enunciado. Ela significa que a classe operária, em reação constante contra o meio atual, nada espera dos homens, das potências ou das forças exteriores a ele, mas que ela cria suas próprias condições de luta e retira de si mesma seus meios de ação. Significa que, contra a sociedade atual, que só conhece o cidadão, ergue-se doravante o produtor. Este, tendo reconhecido que um agregado social é modelado sobre seu sistema de produção, entende combater diretamente o modo de produção capitalista para transformá-lo, eliminar o patrão e conquistar, assim, sua soberania à oficina – condição essencial para fruir a liberdade real.

A ação direta aparece, assim, como sendo apenas a materialização do princípio de liberdade, sua realização nas massas: não mais em fórmulas abstratas, vagas e nebulosas, mas em noções claras e práticas, geradoras da combatividade que exigem as necessidades do momento; é a ruína do espírito de submissão e de resignação, que debilita os indivíduos, faz deles escravos voluntários, – e é o florescimento do espírito de revolta, elemento fecundando sociedades humanas.

A ação direta é a liberação das multidões humanas até aqui modeladas à aceitação das crenças impostas, é sua ascensão ao exame, à consciência. É o apelo a todos para participar da obra comum: cada um é convidado a deixar de ser um zero humano, a não mais esperar de cima ou do exterior sua salvação; cada um é incitado a pôr as mãos na massa, a não mais suportar passivamente as fatalidades sociais. A ação direta fecha o ciclo dos milagres – milagres do céu, milagres do Estado – e em oposição às esperanças nas “providências”, de qualquer espécie que seja, ela proclama a colocação em prática da máxima: a salvação está em nós próprios!

Essa obra preparatória do futuro não está, graças à ação direta, de forma alguma em contradição com a luta cotidiana. A superioridade tática da ação direta é justamente sua incomparável plasticidade: as organizações que sua prática vivifica não se contentam em confinar-se na espera, em postura hierática, da transformação social. Elas vivem o movimento que passa com toda a combatividade possível, sem sacrificar nem o presente ao futuro, nem o futuro ao presente. Assim, resulta, dessa aptidão para fazer frente simultaneamente às necessidades do momento e àquelas do porvir, e dessa concordância entre a dupla tarefa a empreender de frente, que o ideal perseguido, longe de ser obscurecido ou negligenciado, encontra-se, por isso mesmo, clarificado, precisado, mais bem entrevisto.

Portanto, a ação direta é a clara e pura concreção do espírito de revolta: materializa a luta de classes que ela faz passar do campo da teoria e da abstração ao campo da prática e da realização. Em conseqüência, a ação direta é a luta de classes vivida no dia-a-dia, é o assalto permanente contra o capitalismo.

Não há, pois, forma específica da ação direta. Alguns, muito superficialmente informados, explicam-no por uma ampla destruição de vidraças. Satisfazer-se com tal definição – agradável para os vidraceiros – seria considerar esse desenvolvimento da força proletária sob um ângulo verdadeiramente estreito; seria reduzir a ação direta a um gesto mais ou menos impulsivo, e seria omitir o que faz dela seu grande valor, seria esquecer que ela é a expressão simbólica da revolta operária.

* Seleção : Felipe Corrêa
* Tradução : Plínio A. Coêlho

This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
Employees at the Zarfati Garage in Mishur Adumim vote to strike on July 22, 2014. (Photo courtesy of Ma’an workers union)

Front page

Loi travail 2017 : Tout le pouvoir aux patrons !

En Allemagne et ailleurs, la répression ne nous fera pas taire !

El acuerdo en preparacion entre la Union Europea y Libia es un crimen de lesa humanidad

Mourn the Dead, Fight Like Hell for the Living

SAFTU: The tragedy and (hopefully not) the farce

Anarchism, Ethics and Justice: The Michael Schmidt Case

Land, law and decades of devastating douchebaggery

Democracia direta já! Barrar as reformas nas ruas e construir o Poder Popular!

Reseña del libro de José Luis Carretero Miramar “Eduardo Barriobero: Las Luchas de un Jabalí” (Queimada Ediciones, 2017)

Análise da crise política do início da queda do governo Temer

Dès maintenant, passons de la défiance à la résistance sociale !

17 maggio, giornata internazionale contro l’omofobia.

Los Mártires de Chicago: historia de un crimen de clase en la tierra de la “democracia y la libertad”

Strike in Cachoeirinha

(Bielorrusia) ¡Libertad inmediata a nuestro compañero Mikola Dziadok!

DAF’ın Referandum Üzerine Birinci Bildirisi:

Cajamarca, Tolima: consulta popular y disputa por el territorio

Statement on the Schmidt Case and Proposed Commission of Inquiry

Aodhan Ó Ríordáin: Playing The Big Man in America

Nós anarquistas saudamos o 8 de março: dia internacional de luta e resistência das mulheres!

Özgürlüğümüz Mücadelemizdedir

IWD 2017: Celebrating a new revolution

Solidarité avec Théo et toutes les victimes des violences policières ! Non à la loi « Sécurité Publique » !

Solidaridad y Defensa de las Comunidades Frente al Avance del Paramilitarismo en el Cauca

© 2005-2017 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]